Governo aposta no desenvolvimento de ecossistema nacional de startups

Primeiro Ministro apresenta 20 medidas para desenvolver ecossistema de startups
Foto: António Cotrim/Lusa/website Portugal Gov

Governo quer usar o ecossistema das startups para encurtar a diferença da economia portuguesa face aos países mais desenvolvidos. A aposta no desenvolvimento do setor de inovação tecnológica faz parte das 20 novas medidas do Programa Startup Portugal  – Estratégia Nacional para o Empreendedorismo, apresentado nesta segunda-feira, em Lisboa.

“O ecossistema das startups é muitíssimo importante para Portugal porque é ele que nos vai permitir encurtar o tempo que seria normal para alcançarmos os países mais desenvolvidos”, afirmou o Primeiro-Ministro António Costa, sublinhando que “esta política não é isolada no conjunto da estratégia de desenvolvimento do País – estratégia assente na inovação –, mas é um pilar fundamental desta estratégia, porque é aqui que se pode conjugar quer a capacidade de inovar, quer a de nos internacionalizarmos”.

O Primeiro-Ministro referiu que Portugal fez “a opção fundamental” de cumprir os critérios do euro e de criar emprego de qualidade e ter um desenvolvimento sustentável, acrescentando que a inovação deve ser uma política prioritária, transversal a todas as áreas do Governo, nomeadamente a educação, porque “só há inovação quando temos recursos humanos capazes de inovar”.

Mas a responsabilidade desse desenvolvimento também passa pelas empresas, sublinhou António Costa, frisando que para serem capazes de aproveitar o conhecimento e os recursos humanos, as empresas têm de compreender “a imprescindibilidade de inovarem para serem mais produtivas, ganharem competitividade e exportarem cada vez mais”.

“Em toda esta cadeia as startups são fundamentais”, afirmou Primeiro-Ministro, “porque quanto mais descentralizadas forem as condições de criação, mais oportunidades temos de inovar mais e melhor”. O desenvolvimento de um ecossistema de partilha entre startups, complementado pela rede de empresas tradicionais, é a chave para uma dinâmica mais inovadora na economia, gerando impacto na internacionalização.

“Muita gente chama a atenção para a importância do Websummit, e ele é importante porque é uma gigantesca vitrina do Portugal moderno, criativo, com recursos humanos altamente qualificados, para o mundo”, afirmou António Costa. “O facto de hoje no mundo se saber que Portugal é um país com recursos humanos qualificados, empresas inovadoras, grande dinâmica de criatividade assente no ecossistema das startups tem sido essencial para atrair investimento que antes não vinha para Portugal.”

O Primeiro-Ministro afirmou também que o Programa Startup Portugal ao gerar um ecossistema de startups nacional, terá impacto no conjunto do País, apontando como exemplo “o último unicórnio, a Outsystems, tem uma base em Oeiras, mas tem um grande centro de desenvolvimento em Proença-a-Nova com centenas de engenheiros”.

“Quando lá estive, eles disseram-me que têm ali uma qualidade de vida que não encontravam no litoral, com escolas, equipamentos, e casas, a um custo que não teriam no litoral, e a duas horas do aeroporto que dá acesso a todo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

eighteen + 11 =