Paula Ribeiro: “As mulheres são muito criativas”

Quais são os elementos diferenciadores da WeCareOn?

A WeCareOn.com é uma plataforma onde ligamos profissionais da área do desenvolvimento pessoal, e do bem-estar emocional e mental, às pessoas que procuram estes serviços. Disponibilizamos serviços de psicologia e coaching em sessões online, quer através de videochamada, voz, chat ou e-mail, quer através de atendimento presencial, quando assim se justificar.

O que nos diferencia é que somos a única plataforma em Portugal focada essencialmente em serviços online, para estes sectores, e que tem profissionais de várias zonas do país, com preços distintos e canais distintos, podendo assim o cliente ter sempre uma solução focada em si.

Foi o seu primeiro projeto de empreendedorismo?

Sim, foi o meu primeiro projeto empreendedor e apareceu numa altura em que estava desempregada e queria criar algo novo. Queria deixar o mercado da consultoria e fazer algo diferente, que fosse único e que ajudasse as pessoas no seu caminho de desenvolvimento humano. Participei num acelerador de Startups, para testar a ideia e depois comecei por fazer os primeiros testes, procurando profissionais e clientes que valorizassem o seu tempo e para quem as tecnologias e as consultas online fossem uma mais-valia. E depois tudo começou por acontecer, com os desafios normais de um projeto novo, numa área em que ainda há muito a fazer…

Está sozinha no WeCareOn, ou é o resultado de um trabalho de equipa? nA empresa tem 2 sócios, eu e o Miguel Pereira. Eu trabalho a 100% na empresa e o Miguel ajuda nos temas relacionados com a área financeira e gestão.nA equipa de coaches e psicólogos que trabalham connosco fazem com que possamos atender os nossos clientes sempre com profissionalismo e rapidez.

Temos níveis de serviço acordados e cada cliente que nos contacte pode marcar sessão para o próprio dia, se for essa a sua necessidade, ou agendar para os dias seguintes, em função da disponibilidade do profissional que escolheu. Para dar um exemplo, as nossas respostas aos pedidos de marcação são feitas no máximo em 2 horas e isso porque ainda trabalhamos de uma forma não automatizada. A nossa equipa está totalmente empenhada em dar respostas rápidas e em garantir que temos uma solução única para cada cliente.

Que dificuldades que sentiu para começar?

As dificuldades quando se cria um negócio novo – quer porque não existe ainda em Portugal, ou porque não existem dados para se fazer benchmark do que se pode esperar – estão muito relacionadas com o criar confiança e encontrar os parceiros certos para fazer avançar o projeto. Inicialmente, os profissionais que contactávamos tinham dúvidas se o online era um bom método para os clientes, talvez porque não tivessem muita experiência nesse tipo de interação, e ainda não havia muitos casos de sucesso em Portugal. Depois de experimentarem e de verem que era igual, que os resultados nos clientes eram os mesmos, ou até superavam as expectativas, acabaram por perceber a vantagem. Agora temos muitos profissionais que querem entrar na plataforma e usar a WeCareOn para angariar mais clientes ou dar seguimento aos seus.

Dos clientes, o feedback também tem sido muito positivo e temos muitos clientes portugueses que estão fora do país e que encontram na WeCareOn a solução para escolher o melhor profissional, independentemente do local onde se encontrem. Mas a maioria dos nossos clientes é de Lisboa e opta pela WeCareOn porque valoriza o seu tempo, ao poder marcar e fazer as consultas sem deslocações, quando quiserem e como quiserem, escolhendo o canal e o profissional que decidirem. Mais uma vez estamos a dar o poder de decisão aos clientes e isso é muito valorizado por eles.

Sente que as mulheres têm mais dificuldade em entrar no mundo dos negócios?

Não. Acho que a vontade de empreender é independente do sexo. As mulheres por si só já são bastante criativas, pois no papel de mulheres e mães, criam dentro de si outro ser humano (com a ajuda de um homem). Assim, criar um negócio é mais um papel que cada mulher pode decidir realizar. Sabemos que existem cada vez mais mulheres empreendedoras e gerentes de empresas, com muito sucesso.

Acredito que criar um negócio tem mais a ver com a paixão de conceber algo que tenha a ver com os nossos valores, com os desafios que temos e as experiências que passámos, mas também das pessoas que vamos gerir, dos clientes com quem nos vamos relacionar. E, no fim do dia, da paixão que temos por aquilo que fazemos e da vontade que temos em fazer prosperar algo que criámos com muito amor (sorriso).

E a WeCareOn já atingiu a ‘velocidade de cruzeiro’, ou seja: já é sustentável?

A WeCareOn ainda está em fase de implementação. Já testei e já aprendi coisas. Vou fazer agora um novo site para incorporar as aprendizagens e fazer crescer a empresa, com novos serviços e com mais clientes e profissionais. Mas sim, A WeCareOn ainda não é sustentável – eu não tenho salário, por exemplo – e estou ainda em fase de investimento, a injetar dinheiro na empresa para o desenvolvimento da plataforma, do marketing, etc., o que é normal, para esta altura do projeto. Agora, se conhecerem alguém que tenha paixão pelo projeto como eu tenho e que queira investir, estou disponível para uma conversa (sorriso).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

4 × two =