Programa “Menos” apoia microempreendedorismo

O objetivo do ‘Menos’ é combater o desemprego – um fenómeno global e com tendência a aumentar-, facilitando uma metodologia simples que permita aos mentores trabalharem com os desempregados na criação de negócios próprios.

No site do programa, qualquer pessoa pode apresentar uma candidatura para ser mentor e, assim, promover o ‘Menos’ na sua comunidade, o único requisito é ter conhecimentos na área da gestão e do empreendedorismo e/ou estar familiarizada com a metodologia Lean.

‘Através de um programa intensivo de duas semanas, os empreendedores desempregados que vieram com uma ideia acabam com um negócio estruturado pronto a ser lançado e testado. Essas duas semanas culminam num evento de trade show, onde os empreendedores expõem os seus produtos e apresentam os seus negócios. Três projetos são selecionados para disputar um prémio final numa apresentação de 3 minutos’, explica ao Empreendedor.com João Duarte, 23 anos, fundador do programa.

O ‘Menos’ encontra-se incubado no Copenhagen School of Entrepreneurship, na Dinamarca, e já foi testado em Portugal junto de 42 desempregados, resultando em 32 ideias de negócio bem estruturadas das quais 30% viraram negócios.

joaomenos
n’Disponibilizamos a nossa metodologia e ferramentas a qualquer pessoa em qualquer parte do planeta que queira replicar o programa ´Menos`, potenciando o microempreendedorismo local e tendo um impacto na sua comunidade’, explica o fundador.

João Duarte considera o ‘Menos’ um negócio social, que pretende funcionar exatamente como uma empresa comercial, com um modelo de negócios sustentável e um potencial de crescimento exponencial, ‘um pouco diferente do que estamos habituados em Portugal no que toca ao setor social’.

O programa baseia-se no modelo de gestão Lean, que assenta na criação de mais valor para os consumidores com menos recursos envolvidos. João Duarte dá como exemplo o livro ‘StartUp de 100 Dólares’, de Chris Guillebeau, no qual aparecem inúmeros casos de empreendedores atuais, especialmente na área tecnológica, que lançaram os seus produtos e serviços por menos de 100 dólares. ‘Com as ferramentas que a internet oferece, podemos fazer quase tudo sem custo e é cada vez mais fácil chegarmos a mais pessoas. Ao começar com 100 dólares de investimento inicial não significa que não se invista grandes quantias no futuro, apenas demonstra que para começar não é preciso muito’, refere.

Negócios portugueses que nasceram no programa ‘Menos’nNa secção ‘True Stories’ do site do ‘Menos’, podemos encontrar vários micronegócios que tiveram o apoio do programa para arrancar. Uma academia sénior, meditação mindfulness em contexto organizacional, yoga com histórias para famílias e crianças , design gráfico, serviços premium de bricolage, serviços de assistência na organização da casa, kits educacionais para a promoção da língua portuguesa, leitura de histórias para combater o isolamento são alguns deles.

‘O empreendedorismo não significa necessariamente riqueza ou crescimento. Pode significar preenchimento. Nós tentamos levar o microempreendedorismo a pessoas que não fazem ideia do que é um negócio. Não sabem o que fazer, por onde e como começar, mas têm ideias, boa vontade, competências, desejo e motivação para criarem as suas próprias oportunidades. O que as impede de construírem os seus próprios negócios?’, pode ler-se no manifesto do programa.

Para João Duarte, qualquer pessoa tem a capacidade de se tornar empreendedora, se trabalhar nesse sentido. ‘Há duas coisas que eu acho particularmente importantes num empreendedor: a persistência e ser um bom ouvinte. As boas ideias só se tornam boas ideias quando postas em prática e para as pôr em prática é preciso uma vontade enorme’, diz. E acrescenta: ‘Um empreendedor tem que aprender muito e muito rápido. O seu sucesso está dependente da sua capacidade de ouvir, filtrar e pôr em prática o constante feedback das partes envolventes – clientes, parceiros e equipa’.

‘Quanto mais cedo testarmos a nossa ideia, melhor. Incentivo os empreendedores a saírem para a rua logo que tenham um esboço do produto/serviço, de forma a obterem feedback e melhorarem o que têm para oferecer. É esta constante melhoria do produto/serviço que cria negócios sustentáveis’, aconselha ainda.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGo Big Data Or Go Home
Próximo artigoExcelente TED sobre o crescimento exponencial da tecnologia
O Empreendedor é um projecto de empreendedorismo colaborativo que pretende desenvolver e testar novas formas de cooperação entre indivíduos e organizações ligadas ao empreendedorismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

five × five =