Qual é o grande motivo dos novos negócios morrerem?

Algumas dicas para perceber porque falham tantos novos negócios

Porque morrem os novos negócios? Surpreendentemente a resposta para esta pergunta é a mesma para outra pergunta diferente: Como começar uma startup? Para responder podemos começar por aí.

Quando a pergunta surge – Quais são os primeiros passos para começar uma Startup? -a primeira coisa que sempre falo é: ‘Descubra um problema que valha a pena ser resolvido’. Este é sempre o meu desafio, mas o que você precisa saber é que não se trata apenas de uma crença do Bruno, mas que resulta da experiência partilhada por diversos autores de livros, artigos, ou pesquisas de entidades muito serias que apontam a resolução de problemas como um ótimo começo. Essa é também a maior razão para o fim dos novos negócios.

GRANDES PROBLEMAS, GRANDES OPORTUNIDADES.

Quando a resposta a essa pergunta não é suficientemente forte, porque não se trata de um problema ‘tão dolorido’, ou relevante, a chance de falhar cresce e o fim pode se tornar inevitável.

A maior taxa de mortalidade dos negócios é o que chamamos de Market fit – dito de uma forma mais simples, é o encaixe da sua solução ao que o mercado precisa.

Então tome nota: segundo as pessoas que amam o assunto, pesquisam sobre ele e o entendem, a maior parte das mortes de novos negócios acontece porque eles não resolvem algo que de fato precisava ser resolvido, ou simplesmente as soluções de outros se encaixam melhor.

SE AINDA EXISTE UM GRANDE PROBLEMA, EXISTEM MAIS FORMAS DE PENSAR UM NOVO NEGÓCIO.

A MAIOR PARTE DO TEMPO NO INICIO DO NOVO NEGÓCIO

Geralmente os empreendedores, no início do seu novo negócio passam o tempo em volta do seu produto. São horas a fio, olhando, comentando, vivendo na loucura do grande produto, aquela sua ‘formidável ideia que vai ser incrivelmente adorada por todos e que subirá as alturas’.

Mas, segundo muitos mentores e aceleradoras, o fracasso raramente está nesse desenvolvimento e empenho dos empreendedores, mas simplesmente porque o produto não era bom ou – mesmo que fosse maravilhoso – não resolvia adequadamente algo que tem outra solução que, sendo mais relevante, é infinitamente mais mortal. Do que adianta você criar algo que tem muitas outras coisas resolvendo melhor o problema?

CONTRA AS ESTATÍSTICAS

Você já pensou porque essas benditas estatísticas existem? Porque existe um padrão. Existe uma maioria, um comportamento que é tomado e seguido pela maior parte das pessoas, e quando isso ocorre o que geralmente acontece? As pessoas e empresas acreditam que não estão no padrão, mesmo quando ele foi justamente um quadro pintado da maioria. É uma miragem coletiva.

É importante sim saber o padrão para poder entender onde vale a pena ser diferente e onde não ser. Se hoje os números mostram que a maior parte das startups morrem porque não criam um produto que se encaixe ao mercado, a coisa mais inteligente a fazer não é justamente estar atento a isso?

Muita gente se preocupa com o sucesso e em seguir as dicas de quem chegou lá. É excelente fazer o benchmark e replicar boas ideias, mas é também importante saber onde a maioria está caindo, pois aí tem também um padrão acontecendo que a propensão é também você cometer. Tem um livro digital interessante – Os 15 maiores erros de novos empreendedores – que mostra um pouco dos erros dos outros.

NÃO PERCA DE VISTA

Essa é a questão – jamais deixe de estar verificando isso, ainda mais quando você está no início de um novo negócio – que solução você encontrou para resolver algo importante? Se não, vá procurar outra coisa.

Por incrível que pareça, toda a vida pensamos que seria bom fugir de problemas e, logo no empreendedorismo descobrimos que eles não são ruins, e até que os piores são os mais procurados. Afinal são os grandes problemas que mais precisam de alguém para os resolver – Espero que um desses seja seu.

Este vídeo vai lhe ajudar a entender um pouco mais sobre a questão de empreender de fato:

COMPARTILHAR
Artigo anterior8 previsões para 2030
Próximo artigo5 razões para ter um site online
Bruno Perin
Bruno Perin, empreendedor, consultor, palestrante e escritor. Autor do livro – A Revolução das Startups. Pioneiro na combinação dos conhecimentos em Startup, Empreendedorismo, Marketing e Comportamento Jovem alinhado a Neurociência. Busca das formas mais diferentes, malucas e inusitadas possíveis desenvolver pessoas e negócios que façam a diferença no mundo, de jeito divertido, valorizando a vida e o agora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

one × 4 =