A verdade de ser patrão de si próprio

Isa Amaral, fundadora da Blue Vision
Foto: Blue Vision

Isa Amaral trocou o jornalismo pelo empreendedorismo. Uma experiência marcada por desafios, mas compensadora. A fundadora da Blue Vision partilha agora os seus conselhos, para quem quer começar num percurso empreendedor.

Fartei-me de escrever sobre as maravilhas de ser patrão de si próprio, dono da sua vida a full-time e fazer do empreendedorismo o seu cartão-de-visita. Quando deixei de ser jornalista, sabia que o meu caminho seria este, mesmo com hesitações e um projeto que não avançou.

E posso garantir-vos: sou feliz com a decisão que tomei no verão de 2016 quando criei a minha empresa, a Blue Vision. Cumpridos os compromissos profissionais, avancei para o mercado em outubro de 2016 e a Blue Vision começou a trilhar o seu caminho.

Qual são os conselhos que dou a quem quer criar um negócio próprio? 

– Em primeiro lugar Prepara-se para fazer tudo. E quando digo tudo, é mesmo tudo! Você vai vender, vai cobrar, vai emitir faturas, vai organizar os papéis para a contabilidade, pagar a fornecedores, contratar, limpar, arrumar e carimbar. Sim, é verdade! O carimbo ainda é uma instituição no mundo das empresas do século XXI.

– Tenha algum capital para investir e sobretudo não subestime a necessidade de ter um fundo de maneio para aguentar os primeiros tempos do negócio.

– Controle os custos fixos com “mão de ferro” e não caia na tentação de criar uma estrutura pesada no arranque. Aumente os custos à medida que a empresa cresce e não gaste mais do que precisa.

– Se operar na área dos serviços, pondere as soluções de escritórios virtuais ou de coworking.

– Tenha uma vida pessoal tão leve quanto a sua empresa e caso tenha encargos fixos altos garanta os meios para os pagar ou que haja alguém que os pague.

– Pense bem no que quer fazer, o seu core business e os passos que quer dar para fazer crescer o negócio.Prepare-se para receber muitos palpites e não descure os conselhos que lhe possam oferecer sobre vendas, gestão ou outro tema fundamental para chegar a bom porto.

– Volte a aprender. Se não é da área da gestão e não foi vendedor, faça formações que o possam ajudar e leia muito também.

– Invista também na formação da sua área de negócio. O saber não ocupa lugar e pode ajudar a ganhar um novo cliente.

– O objetivo de uma empresa é ser lucrativa e de os sócios ganharem dinheiro. Mas tenha plena consciência que isso não vai acontecer nos primeiros anos do negócio.

– Não se entusiasme com os primeiros bons negócios e não caia na tentação daqueles gastos que só trazem despesas pesadas para a estrutura. Quanto mais enxuta a empresa for, mais projetos poderá fazer e crescer.

– Tenha muita força para os “nãos”, sobretudo quando eles representam um negócio muito bom ou muito necessário naquele momento para a empresa. Se for preciso chore, mas a seguir limpe o nariz, volte a arregaçar as mangas e recomece a trabalhar.

– Todas as semanas procure novos clientes e faça prospeção de mercado.

– Não se esqueça das pessoas com quem cruzou profissionalmente e que têm de si uma boa opinião em termos profissionais. Provavelmente serão estes que o contratarão nos primeiros serviços.

– Ganhar um novo cliente é fantástico. Mas o sinal de que está no bom caminho é quando um antigo cliente o volta a contratar e o escolhe para seu fornecedor habitual.

– O preço conta muito, mas se você não ganhar dinheiro, o preço é um desastre e está no caminho certo para falir. Tenha o preço certo e o valor que o diferencia.

– Não tente fazer tudo ao mesmo tempo, nem pôr todos os projetos em andamento. Começar pequeno, implica que invista à medida que a faturação cresce.

– Evite contrair empréstimos na banca e se precisar muito de investimento pense primeiro na opção de encontrar um business angel, capital de risco ou de tirar partido dos apoios públicos.

– Lembre-se que os negócios acontecem quando “o dono tem a barriga no balcão” e por isso não se distraia, mantenha o foco e trabalhe de forma constante.

– A sua imagem profissional vale ouro e a da sua empresa, platina. Por isso cuide de ambas e mantenha um bom nome no mercado junto de todos os públicos da sua empresa.

– Por último, por muito pequena que seja a empresa, não deixe de abraçar causas e se puder apoiar organizações locais. É bom para a sua imagem e estará a contribuir de forma ativa para que a sua comunidade seja um local melhor para viver.

E só lhe posso dizer, depois de ter estado grande parte do dia a fechar contas e a organizar tudo para entregar à contabilista, “it’s really good to be the boss”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

5 × 4 =