Agricultores querem mais apoios para a digitalização

Foto de Alex Fu em Pexels

Agricultores portugueses consideram que a digitalização é essencial para a produtividade e sustentabilidade, mas é preciso apoio público urgente.

Os agricultores portugueses precisam de apoio público urgente para aumentar o uso de ferramentas digitais e enfrentar as crescentes pressões ambientais e económicas, conclui o estudo “Agricultores e Digitalização”, encomendado pelo Grupo Vodafone à Savanta ComRes.

Mais de 600 agricultores de 13 países europeus e africanos, incluindo Portugal, foram questionados sobre as suas atitudes face à digitalização das suas explorações. A pesquisa procurou ainda saber quais os desafios ambientais que enfrentam e as pressões geopolíticas e sociais que afetam as cadeias de fornecimento e os custos crescentes de equipamentos e materiais.

As alterações climáticas estão no topo da lista de ameaças identificadas: todos os agricultores inquiridos em Portugal consideram que estas influenciam, de alguma forma, a viabilidade financeira dos seus negócios. Os custos de combustível e energia – impactados pela guerra na Ucrânia -, os baixos preços de venda de colheitas e gado e a falta de apoio do Estado são outros desafios identificados.

Foto: ISQ

Digitalização essencial para explorações mais resilientes e sustentáveis

O inquérito revela que 82% dos agricultores portugueses veem as tecnologias digitais a contribuir para o sucesso da agricultura no futuro, numa altura em que o setor já recorre a ferramentas desta natureza, por exemplo para reduzir o uso de fertilizantes e de água, e para melhorar o solo.

Quase todos os agricultores portugueses (94%) planeiam investir mais em ferramentas digitais nos próximos 12 meses. Funcionalidades inteligentes como drones, rastreamento de viaturas e veículos autónomos, além da inteligência artificial, blockchain e apps para smartphones, estão entre as soluções que podem ajudar os profissionais do setor agrícola a monitorizar as condições climáticas e do solo, além dos custos e dos preços de mercado. Soluções inteligentes de irrigação e alimentação de culturas também ajudam a aumentar a eficiência.

Foto de Mark Stebnicki no Pexels

Barreiras à adoção digital

No entanto, há barreiras claras à adoção generalizada e contínua de ferramentas de agricultura digital. 84% dos agricultores inquiridos em Portugal querem mais apoio governamental para ajudar a resolver questões como o custo dos dispositivos e de outro hardware.

E não se trata só de apoio financeiro: 46% dos agricultores portugueses querem formação para uso de soluções digitais, enquanto 42% consideram que melhorar a conectividade de internet móvel poderia ser um incentivo governamental para usar mais ferramentas digitais nas explorações agrícolas.

“Ao trabalhar nos últimos oito anos com agricultores de toda a Europa e África percebemos a dura realidade dos desafios revelados no inquérito e a forma como ameaçam não só o futuro das suas explorações, mas de toda a atividade”, refere Vinod Kumar, CEO da Vodafone Business. “Embora seja positivo ver que esta comunidade já utiliza soluções digitais, é preciso fazer mais para garantir que adota totalmente a agricultura de precisão”, acrescenta.

O inquérito foi realizado pela Savanta ComRes em 13 países: Alemanha; Grécia; Hungria; Itália; Países Baixos; Portugal; Roménia; Espanha; Peru; Egito; Quénia; África do Sul e Tanzânia. Na Europa o inquérito decorreu online, tendo sido feito por telefone em África. Em cada mercado foram inquiridos 50 agricultores, à exceção da Roménia, onde foram auscultados 21. Os inquiridos estão ligados a explorações agrícolas de várias dimensões. O trabalho de campo decorreu em setembro e outubro de 2022.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

four × 4 =