Bynd VC entra no capital da espanhola Colvin

Foto: Andrés Cester (esquerda) e Sergi Bastardas (direita), cofundadores da Colvin.

A sociedade portuguesa de gestão de capital de risco, Bynd Venture Capital, vai participar na última ronda de investimento da Colvin, uma empresa espanhola de tecnologia dedicada à indústria das flores. A ronda de investimento de Série C, no valor de 45 milhões de euros, é liderada pela Eurazeo, um fundo europeu de capital de risco que já investiu noutros marketplaces, incluindo a portuguesa Farfetch, a Glovo e o grupo ManoMano. 

A Colvin foi fundada em 2017 por Andrés Cester e Sergi Bastardas como a primeira plataforma na Europa com vista a digitalizar o setor das flores e plantas, tendo por base um modelo disruptivo baseado na desintermediação da cadeia de valor. A atuar num setor tradicional, a startup criou a primeira rede sem intermediários, utilizando tecnologia e a logística na cadeia de fornecimento que lhe permite garantir que as flores enviadas são cortadas no momento em que a encomenda é realizada.

O investimento na última ronda da Colvin surge da estratégia da sociedade gestora de capital de risco de apostar em startups que tenham uma relação direta com Portugal e/ou Espanha, quer seja por via dos fundadores ou investidores, pela presença das equipas, do centro tecnológico ou outra. Francisco Ferreira Pinto, partner da Bynd Venture Capital, refere que “A pandemia veio colocar à prova a forma como nos conectamos uns com os outros e, por isso, o e-commerce veio revolucionar a forma de atuar de alguns setores, como o da entrega de flores e plantas. A Colvin é uma startup com uma ideologia disruptiva e inovadora e esta ronda só veio comprovar que existe muito potencial e dinamismo por detrás da startup que o Sergi e o Andrés criaram há cinco anos.”

“2020 foi um ano de aceleração para a Colvin, um ponto de viragem que definirá o ritmo do nosso crescimento nos próximos anos. Esta nova ronda de investimento permitir-nos-á acelerar o desenvolvimento dos projetos de tecnologia e logística da categoria B2B que estão em curso, além de consolidar o crescimento da empresa no setor do retalho online das flores e plantas. Na Colvin, o nosso objetivo é liderar a transformação da indústria ao nível global.”, afirma Sergi Bastardas, cofundador da Colvin.

Com este novo financiamento, a Colvin investirá em tecnologia e nos seus próprios sistemas para continuar a conectar-se diretamente com os seus fornecedores. A empresa expandirá os seus negócios para novos mercados na Europa, como França, e aumentará a sua equipa contratando mais de 100 pessoas nos próximos meses. O recrutamento dará ênfase à contratação de colaboradores para os departamentos de tecnologia, marketing e operações.

Só no ano passado, a procura por flores e plantas na Colvin duplicou face ao ano anterior. Durante 2020, a startup enviou mais de 10 milhões de flores, duplicou o tamanho da sua equipa para 200 pessoas e abriu uma divisão focada no mundo das plantas: a Colvin Jungle. A empresa encerrou o ano com um crescimento de 200% e espera encerrar o presente ano a duplicar a sua faturação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

nineteen − eight =