Clubes europeus perdem mais de 2 mil milhões de euros com a pandemia

Foto de Thomas Serer no Unsplash

Os 20 maiores clubes de futebol do mundo irão perder mais de 2 mil milhões de euros em receitas até o final da atual temporada, face ao contexto da crise económica e social global causada pela pandemia COVID-19, de acordo com a 24ª edição do Football Money League, publicado pelo Sports Business Group da Deloitte.

O estudo conclui que os 20 clubes de futebol mais lucrativos do mundo geraram 8,2 mil milhões de euros de receitas combinadas em 2019/20, o que representa uma queda de 12% em relação à temporada anterior (9,3 mil milhões de euros).

Para Dan Jones, Partner responsável pelo Sports Business Group da Deloitte, refere que: “as Ligas adotaram abordagens diferentes como resposta à pandemia, variando entre o adiamento ou classificações finais determinadas usando diferentes metodologias. Não há dúvida de que este é um dos tempos mais difíceis que a indústria do futebol já teve de enfrentar”.

A redução de 1,1 mil milhões de euros explica-se por uma queda de 937 milhões de euros (23%) nas receitas de transmissão, principalmente devido ao diferimento das receitas de transmissão para o exercício encerrado em 2021 e descontos para os canais de televisão relacionados com a temporada interrompida de 2019/20.

Também as receitas dos jogos nos estádios, caíram 257 milhões de euros (17%), uma vez que os jogos foram primeiro adiados e depois cancelados ou retomados à porta fechada e, portanto, irrecuperáveis. Ainda assim, estas perdas foram compensadas por um aumento de 105 milhões de euros (3%) nas receitas comerciais, refletindo o início de vários acordos comerciais importantes em clubes da Money League em 2019/20.

O estudo da Deloitte sublinha que “em circunstâncias normais, os clubes costumam ter um final de ano financeiro em linha com sua temporada nacional (maio ou junho para a maioria das ligas europeias). Contudo, a interrupção da época de futebol de 2019/20 e as diferentes abordagens das várias ligas, emissoras televisivas e parceiros comerciais resultaram em que a receita dos clubes gerada em relação à temporada de 2019/20 acabou por ter que ser distribuída por dois anos financeiros e terminando em 2020 e 2021”.

Assim, a maioria das análises deste estudo está focada no ano financeiro que termina em 2020, pelo que, no conjunto da temporada, ainda faltam ser consideradas receitas e perdas a ocorrer ainda no primeiro semestre de 2021.

Entre os clubes nacionais com maior faturação na Football Money League, o estudo destaca o Benfica, que chega mesmo a subir uma posição em relação ao ano passado, e surge na 23ª posição com um acumulado de 170,3 milhões de euros. Já o FC Porto, que este ano ainda se encontra a disputar a Liga dos Campeões, perdeu a 29ª posição alcançada no ano passado, saindo do Top 30.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

5 × five =