Como promover uma cultura organizacional apoiada na inovação

Foto de Brands and People no Unsplash

Uma cultura de inovação é hoje uma vantagem estratégica num mercado cada vez mais competitivo. Neste artigo, a consultora de inovação colaborativa Beta-i destaca a importância de uma cultura organizacional que permita antecipar, criar e gerir a mudança.

Num presente cada vez mais digitalizado e automatizado, a maioria dos líderes e empresários consideram que o elemento mais importante para inovar é a tecnologia. Porém, esta não é uma garantia de resultados: o sucesso das empresas e organizações começa a ser altamente determinado por traços humanos, como criatividade, imaginação, intuição, emoção e ética, fazendo com que seja essencial promover uma cultura de inovação apoiada nas pessoas e num ambiente que permita a implementação de práticas e processos de gestão da inovação.

“Os desafios da pandemia forçaram muitas empresas a adotar uma mentalidade inovadora a fim de se adaptarem a novas exigências em tempo recorde. Como tal, agora que a Covid-19 parece dar sinais de chegar ao fim, é essencial tornar este mindset numa parte permanente da cultura das organizações. Uma cultura de inovação é hoje uma vantagem estratégica num mercado cada vez mais feroz e deve ser uma responsabilidade de todos os níveis da empresa e não exclusiva de um só departamento”, explica Susana Salgado, Head of Operations da Beta-i.

Uma cultura empresarial é estabelecida a partir da comunicação, mas sobretudo a partir de ações. Neste sentido, e assente na sua experiência de gestão em projetos internacionais de inovação colaborativa, a consultora Beta-i apresenta cinco formas de como promover uma cultura organizacional apoiada na inovação:

Foto de Brooke Cagle no Unsplash

Implementar um mindset colaborativo

Cada organização é muito mais do que o seu mundo, sendo que aquelas que atingem o sucesso são as que constroem fortes colaborações com os seus colaboradores, clientes e parceiros externos. Desde a definição de estratégia de negócio à execução de projetos, a colaboração garante mais e melhores ideias, mobiliza criatividade e dá robustez aos resultados finais de projetos de inovação. É assim fundamental promover uma mentalidade aberta em projetos que deem origem a outras formas de pensar, aumentando o nível de motivação e participação de todos os stakeholders da empresa.

Pensar como uma startup

Uma barreira à inovação nas grandes empresas é, na maioria das vezes, a “burocracia”: algo que tende a retirar do horizonte o verdadeiro objetivo pelo qual determinado projeto está a ser desenvolvido, e que também causa atrasos significativos na busca por um resultado final. “Pensar como uma startup” implica dar espaço controlado ao risco, experimentando novas formas de fazer sem atacar o core business. Estes ambientes seguros para o “fazer diferente” são cruciais para aprender, testar e advogar novas abordagens dentro das organizações. Desafiar métodos existentes e contorná-los, de forma a manterem-se competitivas, é algo que somente acontece a partir de experiências internas bem-sucedidas.

Foto de David Travis no Unsplash

Adotar uma estrutura horizontal no dia-a-dia

Estruturas altamente hierárquicas são também um entrave à inovação. É essencial o líder da empresa promover um canal de comunicação aberto entre a liderança e a restante equipa, informando sobre os objetivos da organização e justificando as suas decisões. Por outro lado, é importante que todos tenham acesso aos decisores e a oportunidade de apresentar as suas ideias. O líder deve assim quebrar barreiras entre áreas de trabalho e criar um ambiente de geração e discussão de ideias, proporcionando o tempo e recursos para tal, seja dentro ou fora da empresa (inovação aberta). Ao mesmo tempo, é fundamental capacitar os colaboradores e dar-lhes autonomia e responsabilidade para pensar e descobrir as melhores abordagens para lidar com determinados desafios (intraempreendedorismo). Tal abertura não tem nenhuma relação com falta de foco ou de gestão. Pelo contrário: o desafio gerencial torna-se ainda maior.

Construir equipas com base na diversidade

A falta de diversidade de pensamento numa equipa é uma forma clara de bloquear a inovação. É importante que os líderes tenham a preocupação de construir equipas com perfis multidisciplinares e com perspetivas e competências diferentes, abrindo o canal para cada um partilhar as suas opiniões. Quanto mais ideias diversas existirem, maior hipótese a empresa tem de gerar soluções diferentes a serem testadas enquanto resposta aos seus desafios empresariais.

Foto de Annie Spratt no Unsplash

Tornar a inovação parte do recrutamento e do onboarding

Na fase de recrutamento, é importante trabalhar com o departamento de recursos humanos para fazer do pensamento criativo uma parte importante da avaliação dos candidatos. De seguida, é fundamental garantir que o processo de integração de novos colaboradores se concentra na partilha da visão da empresa, encorajando a inovação, e explicando como cada um pode contribuir para o seu desenvolvimento e crescimento. A prática e o envolvimento dos colaboradores em projetos de inovação podem, por sua vez, ser uma forma bastante simples de integrar abordagens de desenvolvimento de carreira, gestão de pessoas e inovação interna.

A Beta-i é uma consultora de inovação colaborativa com alcance global, que une grandes empresas com milhares de startups de todo o mundo. Responsável pela gestão de projetos de inovação colaborativa e desenvolvimento de ecossistemas para clientes em quase 20 países, possui uma vasta experiência no universo da transformação de negócios, com ênfase nas áreas Energia, Sustentabilidade, Saúde, Economia Azul, Finanças e Agrifood. Só em 2021, geriu quase 50 projetos, nos quais conectou 85 clientes públicos e privados distribuídos em 23 países com mais de 4000 soluções de startups de todo o mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

1 + thirteen =