Concurso Montepio Acredita Portugal apoia 80 mil projetos de empreendedorismo

Concurso Acredita Portugal avalia impacto da iniciativa
Foto: Montepio Acredita Portugal

Até ao momento, são mais de 80.000 os projetos de negócio que receberam o apoio da Acredita Portugal, ao longo dos 10 anos de existência. No seu conjunto, as empresas apoiadas pelo maior concurso de empreendedorismo faturam entre 0,34% e 0,73% do PIB português.

No momento em que se desenrola a 9ª edição do Concurso de Empreendedorismo Montepio Acredita Portugal, a associação avaliou o impacto dos últimos anos da iniciativa na economia portuguesa e traçou um perfil aos 80.659 projetos apoiados até ao momento.

Entre as conclusões do inquérito aos participantes nas anteriores edições do concurso, destaca-se o carácter positivo da iniciativa, com 59% dos candidatos inquiridos a reconhecer a importância de terem apresentado a sua ideia de negócio, e 22% dos projetos lançados – um total estimado de 17.745 – encontram-se ativos.

Este inquérito, realizado pela associação no ano em que cumpre o seu 10º aniversário, coincide com o final da data limite para inscrição na presente edição do Concurso Montepio Acredita Portugal. As inscrições podem ser submetidas online, de forma gratuita, até 20 de janeiro de 2019, em acreditaportugal.pt.

A Caixa Económica Montepio Geral é, desde 2017, o naming sponsor do concurso e patrocinador da categoria de empreendedorismo social, uma das áreas que tem registado um maior crescimento, sendo que só na edição anterior foram submetidas 2.050 candidaturas nesta categoria de projetos.

As inscrições para a edição deste ano podem ser submetidas até 20 de janeiro

Observando os intervalos contabilizados no estudo, estima-se que os projetos apoiados pela Acredita Portugal faturam anualmente entre 655 milhões de euros e 1.415 milhões de euros, o que representa entre 0,34% e 0,73% do PIB português. A grande maioria (90%) conseguiu atingir o nível de faturação atual sem qualquer tipo de investimento externo.

Este é, aliás, o principal desafio enfrentado pelos inquiridos e identificado nesta análise. Entre obstáculos como a falta de tempo, a dificuldade para formar uma equipa ou para lidar com a burocracia, para os candidatos a dificuldade em obter financiamento surge como o principal constrangimento, algo que se verifica quer para os projetos no ativo (49%), para os projetos em desenvolvimento (64%) e para os que foram abandonados (46%).

O apoio e mentoring disponibilizados ao longo das fases de desenvolvimento das ideias submetidas conquistam relevância, com os candidatos a referirem-se à estruturação da ideia – através de uma metodologia pedagógica e interativa que aborda oportunidades de negócio, testes de conceito, planos de marketing e negócio – e a aprendizagem acerca de conceitos associados ao empreendedorismo como duas das vantagens mais notórias retiradas da participação no concurso.

Para Fernando Fraga, Diretor de Inovação da Acredita Portugal “os candidatos com os quais contactamos estão mais informados, têm uma visão de oportunidades distinta e são também mais exigentes na procura que fazem das plataformas para potenciar a sua ideia de negócio. A Acredita Portugal reuniu-se de parceiros de referência no sentido de disponibilizar uma rede de suporte e aceleração que facilite o processo go to market de empreendedores e pessoas com ideias transformadoras e com potencial de impacto. Posicionamo-nos como uma plataforma para facilitar o processo de reconhecimento e de acesso a parceiros vitais aos empreendedores numa fase inicial da vida do seu projeto, e penso que esse compromisso tem vindo a ser reconhecido”.

Promovido pela Acredita Portugal e Caixa Económica Montepio Geral (CEMG), este é o maior concurso de empreendedorismo de Portugal e o segundo maior a nível mundial, e tem como objetivos identificar, desenvolver e premiar ideias e projetos de diferentes setores, como o empreendedorismo social, mobilidade e tecnologia, aceitando ideias de qualquer área.

A iniciativa pretende apoiar qualquer pessoa com uma ideia de negócio, independentemente da idade, nível de formação e localização no território nacional, apoiando projetos promissores com know-how especializado para o seu desenvolvimento e avaliação. Os melhores projetos têm contacto direto com investidores, especialistas e mentores, assim como o acesso a formação personalizada e a oportunidade de integrar um programa de pré-aceleração.

O processo de seleção começa pela análise do mercado e do modelo de negócio das centenas de ideias a concurso, depois os candidatos passam por etapas sucessivas de desenvolvimento, análise do plano de marketing e plano financeiro até à apresentação do projeto em formato de pitch, onde são eleitos os vencedores de cada categoria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three + 16 =