Critical TechWorks desenvolve sistema para híbridos passarem automaticamente a modo elétrico nas cidades

Foto de Sol Mitnick no Unsplash

Startup portuguesa desenvolve sistema que permite aos veículos híbridos passarem automaticamente para o modo elétrico, assim que entrem numa zona de baixas emissões nas cidades. A tecnologia desenvolvida pela Critical TechWorks, em parceria com a BMW, já está disponível em três cidades portuguesas, embora seja apenas utilizada pela marca alemã.

O BMW eDriveZones, que está a ser desenvolvido, desde 2019, pela equipa da Critical TechWorks em Portugal, em coordenação com a equipa da BMW em Munique, é um sistema automático que permite aos mais recentes modelos híbridos plug-in da marca, passar automaticamente para o modo elétrico assim que entram numa zona de zero ou baixas emissões dentro das cidades.

A solução visa dar resposta à tendência, cada vez mais comum nas cidades de todo o mundo, de proibir a circulação de veículos de motor de combustão dentro de certas zonas do perímetro urbano. Nesse sentido a solução desenvolvida pela Critical TechWorks para a BMW visa habilitar os veículos da marca alemã para a licença de circulação nas cidades onde essa medida se aplique, sem perder as vantagens associadas à utilização de um motor atmosférico, fora dessas zonas.

Em Portugal, embora ainda não exista esse tipo de limitação, a marca alemã ativou o sistema nas cidades de Braga, Lisboa e Porto. Por enquanto a tecnologia funciona apenas nos quatro modelos híbridos mais recentes da marca, mas o conceito faz parte da estratégia de sustentabilidade do grupo BMW que, entre outras ações, pretende incentivar os clientes a utilizarem os modelos híbridos plug-in em modo elétrico e promover deslocações sem emissões dentro das áreas urbanas.

Para Jaime Vaz, da equipa de desenvolvimento da Critical TechWorks, esta estratégia da BMW “estabelece um novo padrão na indústria pela sua singularidade. Esta é a prova de que a tecnologia pode contribuir muito para um futuro mais sustentável e estamos muito contentes por ver a Critical TechWorks a trabalhar no seu desenvolvimento”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three × one =