Diversidade e Inclusão – Desafios para a indústria de Marketing

Photo de Gemma Chua-Tran em Unsplash

As últimas pesquisas aos níveis de diversidade e inclusão na indústria de marketing, no Reino Unido, revelaram que 60% dos executivos da indústria são homens, num setor ainda avesso à diversidade, onde apenas 10% dos profissionais são negros ou asiáticos, e menos de 10% se identificam como LGBTQIA +.  

Os resultados de 2021 do censo “All in” à indústria britânica de marketing e publicidade, realizado pelas três principais associações do setor (IPA, AA e ISBA) foram anunciados em junho, destacando alguns dos maiores problemas que as agências enfrentam em D&I hoje.

Com base nessa pesquisa, a agência de marketing digital, Greenlight – vencedora do Diversity and Inclusion Leader Award, atribuído pelo Bing da Microsoft – realizou um estudo comparativo da realidade da sua empresa face à média do setor, e tem alguns conselhos que podem ajudar a melhorar a diversidade e inclusão dentro das organizações.   

“Ao promover a diversidade no local de trabalho, estamos a valorizar as diferenças de todos e permitindo que as pessoas contribuam com suas experiências únicas. Ao fazer isso, estamos promovendo uma melhor moral e maior produtividade dos funcionários, o que por sua vez tem um impacto positivo nos resultados de negócios”, justifica Aoife O’Sullivan, responsável pelos recursos humanos na Greenlight.

O D&I, também conhecido por DIB (Diversity, Inclusion and Belonging), tem estado no centro de atenções das empresas. Um local de trabalho diversificado e inclusivo é aquele que faz com que todos, independentemente de quem sejam ou do que façam pela empresa, se sintam igualmente envolvidos e apoiados em todas as áreas do local de trabalho. 

“Não é apenas uma responsabilidade da equipa de pessoal”, explica O’Sullivan, “só pode ser conduzido se aceite pela maioria”. Para o responsável pelos recursos humanos da Greenlight, o principal objetivo deverá passar pela promoção da diversidade e inclusão, “colaborando em estratégias e iniciativas para promover o DIB, mas também entender a demografia e as experiências de DIB do pessoal. Daí nossa recente pesquisa”.

Photo de Christina @ wocintechchat.com em Unsplash

Medidas de inclusão e pertencimento no local de trabalho são essenciais para a retenção. Quando os funcionários não sentem que suas ideias, presença ou contribuições são realmente valorizadas ou levadas a sério por sua organização, eles acabam desmotivados e eventualmente irão embora.

Essa realidade é patente na diversidade de género. Embora muitas empresas tenham uma elevada percentagem de mulheres no conjunto dos trabalhadores, são poucas as que ocupam posições de chefia.

No caso da indústria de marketing e publicidade britânica, 60% dos executivos da indústria são homens e essa desigualdade tem ainda reflexos na disparidade salarial, com as mulheres a ganhar 24% menos do que os homens. Segundo o estudo conjunto das três associações do setor, no Reino Unido, essa disparidade ainda se agravou, relativamente a anos anteriores, com uma diferença de 17,85% em relação à média.

Há um sentimento geral em toda a indústria de que a diversidade de género está retrocedendo. O Censo da IPA, em 2020, mostrou que o número de funcionárias em agências caiu 12,8%, e agora o censo “All In” de 2021 descobriu que apenas 39% dos cargos de chefia no setor são ocupados por mulheres. Mesmo a Greenlight, que sempre se esforçou para reconhecer e apoiar o talento feminino (com 30% dos chefes de departamento e 55% dos diretores de desempenho), admite que tem um caminho a percorrer, uma vez que conta apenas 25% de mulheres como membros do board executivo.

“A indústria de marketing digital não é diversificada o suficiente. Há muitas mulheres e pessoas de cor a trabalhar no setor como um todo, então sentimo-nos mais equilibrados do que outros setores. Mas quando se trata de posições de liderança, carecemos de diversidade de todos os tipos”, sublinha Hannah Kimuyu, diretora de media paga e insights de dados da Greenlight.

A questão racial é outro ponto sensível. A resistência à diversidade nas organizações é um tema estudado desde a década de 1960. As mudanças implementadas na sequência do movimento pelos direitos civis, nos Estados Unidos, geraram reações cada vez mais subtis, para manter o status quo. Mas os protestos Black Lives Matter, em 2020, trouxeram a questão da discriminação racial aos olhos do público de uma forma que tornou impossível para as empresas ignorarem.

Embora a presença de profissionais não brancos no setor de publicidade tenha melhorado nos últimos anos, o estudo descobriu que apenas 10% dos funcionários do setor no Reino Unido, se identificam como negros ou asiáticos. Na Greenlight esse numero sobe para 30% mas, apesar de ganhar o Prêmio de Líder de Diversidade e Inclusão de 2019, a empresa sabe que muito mais pode ser feito e desafia outras agências a fazerem melhor para garantir uma indústria verdadeiramente diversa através de uma contratação cega e treino de “preconceito inconsciente” para todos os funcionários.

Photo de Jana Sabeth em Unsplash

Outro tipo de preconceito está relacionado com a identidade sexual, ainda que neste grupo específico o setor da publicidade e marketing tenha uma posição claramente positiva, quando comparado ao resto do Reino Unido.

Segundo o censo “All In” 10% dos funcionários que trabalham em agências de publicidade identificam-se como LGBTQIA +, um número que é significativamente maior do que a média nacional (3%). A Greenlight está acima da média nesta área, com 1 em cada 5 funcionários identificando-se como LGBTQIA +.

“Os resultados da pesquisa, embora muito encorajadores, também destacaram áreas para o Greenlight melhorar e focar em nossa estratégia de DIB no futuro. Podemos ter um caminho a percorrer, nem sempre acertarmos, mas enquanto estivermos aprendendo e comprometidos com nossa causa, continuaremos a nos empenhar por um ambiente de trabalho melhor e mais inclusivo para todos.”

Um local de trabalho inclusivo não tem apenas uma diversidade de pessoas presentes, mas também uma diversidade de pessoas envolvidas, desenvolvidas, capacitadas e com a confiança da empresa. A diversidade, inclusão e pertencimento é a representação de diferentes pessoas numa organização, garantindo que todos têm oportunidades iguais de contribuir e influenciar nos diferentes níveis de um local de trabalho e de pertencer a um grupo em que todos se sintam integrados e possam trazer o seu “eu” completo e único para o trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

nineteen − 16 =