Duas décadas de novo milénio

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

De repente, o novo milénio já tem duas décadas… Com o mundo mudando velozmente, uma das melhores decisões para 2020 passa por melhorar a gestão do nosso tempo.

Pode parecer um texto escrito por alguém com Síndrome de Pensamento Acelerado, mas a verdade é que os longínquos anos 90 parecem estar a destoar no tempo e nunca, como agora, esse mesmo tempo passa em velocidade cruzeiro ou nos dá a sensação de tal. Relembremos alguns marcos do ano 2000 (suspiro):

Portugal recebeu o Papa João Paulo II aquando da beatificação dos Pastorinhos, contámos com a polémica do “Orçamento Limiano” na Assembleia da República, começámos a preparação para deixar de lado o Escudo e começar a utilizar o Euro e tivemos o primeiro acordo entre TMN, Telecel e Optimus para se poder enviar SMS entre as três redes.

A nível internacional, tivemos o Euro 2000 (com a famosa mão de Abel Xavier nas meias finais), os Jogos Olímpicos de Sidney, foi lançada a PlayStation 2 e o Windows 2000 e na política internacional tivemos a eleição de George W. Bush nos Estados Unidos da América e Vladimir Putin na Rússia.

Tudo parecia mais moroso, as notícias veiculavam de forma mais remansada e duravam mais tempo, sendo consumidas, revistas e discutidas com cautela e cuidado.

Volvidos 20 anos, estamos na presença de quotidianos muito mais acerbados, fugazes e com um conteúdo muito pouco funcional. Tudo é efémero, captado por máquinas, difundido por redes ditas sociais e que se dissolve no meio de milhares de memórias difusas entrelaçadas em gostos e esquecimento.

Propostas para 2020

Segundo estudos levados a cabo na Universidade de Munique, a idade interfere na perceção do tempo, bem como as responsabilidades familiares, profissionais e stress. Horas, minutos e segundos continuam iguais, mas há que saber rentabilizá-los.

2020 vai ser profícuo em atividades que vêm usufruir do nosso tempo (e carteira). No meio do sem número de eventos de cariz desportivo, cultural e social, seria bom pensar e refletir nas duas décadas que passam sem darmos por isso. Então, ficam algumas dicas para que 2020 seja aproveitado ao máximo:

– Social e offline:

Já começa a ser cliché, mas deixar de lado computadores, tablets e smartphones, pelo menos à hora das refeições, ginásio, caminhadas, noite e em tarefas que exijam a nossa concertação é essencial. O chamado “desmame digital” pode ser feito paulatinamente e essencialmente em momentos com amigos, colegas, familiares e pessoas próximas. Pouco a pouco.

– Meditar e aprender:

Uma das melhores soluções que consegui encontrar. Retirar 10 a 15 minutos por dia para meditar faz um reboot ao cérebro, traz bons momentos ao pensamento, ativa a memória a longo prazo e retira-nos o stress e pressão a que estamos habituados. Há diversas técnicas, formas de fazer meditação e tudo em casa, sem gastar um cêntimo. Cada um deve encontrar a melhor opção para si. Aliado a isso, aprender algo, com formações, meetings, entrevistas, podcasts, documentários ou livros pode ser uma fonte de riqueza intelectual que nos adarga contra a rotina e estagnação.

– Doar tempo e não apenas vender:

Vendemos o nosso tempo no trabalho, é uma realidade. No entanto, podemos doar. Com projetos para uma causa, com voluntariado, com tempo passado com os que mais precisam e sempre colher algo de positivo. Não devemos doar por doar, mas sim doar a algo ou alguém que nos faça sentir bem, produtivos, melhores pessoas.

– Listas, objetivos e conclusões:

É já habitual ouvirmos falar das resoluções de ano novo. No entanto, listar mensalmente (ou até semanalmente para os mais organizados) os nossos objetivos e conclusões, percebendo como chegámos lá ou porque deixámos esse objetivo a meio. Verificar se estamos a escolher os objetivos certos, a dedicar-lhes o tempo necessário ou se estamos a dedicar demasiado e ainda ajustar esse tempo. Organizar, reorganizar e celebrar o que for alcançado, esquecendo aquilo que não foi ou que ficou por alcançar por motivos que não é possível controlar.

Há um emprego para o qual nunca nos candidatámos nem fizemos entrevista. Todos nós temos de ser os melhores gestores do nosso tempo, escolhas e consequências. E isso é um trabalho a full time, para a vida toda. Boa sorte nesse emprego e um excelente ano de 2020, com tempo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

1 × one =