Empresas da saúde investem na cloud

Imagem de Oberholster Venita por Pixabay

O Enterprise Cloud Index revela que as empresas do setor de saúde esperam aumentar o número de infraestruturas de cloud híbrida em 32% nos próximos cinco anos.

O relatório produzido pela Nutanix (NASDAQ: NTNX), empresa líder em computação com cloud híbrida, vem evidenciar que a pandemia mudou a forma como estas empresas olham para a tecnologia, agora vista como um fator mais estratégico e que acelerou a transformação digital do setor.

Os dados referentes às empresas do setor da saúde sobre a adoção das tecnologias de cloud, incluídos na terceira edição do Enterprise Cloud Index Report recentemente divulgado, apontam para um aumento do interesse neste tipo de tecnologia. 95% das empresas inquiridas considera que o modelo de cloud híbrida é o ideal para fazerem frente à atual situação pandémica.

“As empresas do setor da saúde estão numa fase crítica de aceleração da sua transformação digital, para darem uma melhor resposta às necessidades dos pacientes e colaboradores, principalmente após o início da pandemia causada pela COVID-19”, afirma Cheryl Rodenfels, Healthcare Strategist da Nutanix.

Devido à pandemia, as empresas que operam no setor da saúde tiveram de encontrar novas formas de continuarem a servir os seus pacientes. A digitalização acelerou no setor, não só para as atividades de teletrabalho comuns a outras atividades empresariais, mas sobretudo nas práticas de telemedicina.

Hoje, mais de metade das empresas de saúde aumentou o uso da cloud pública (56%); e cloud híbrida (51%) e quase metade (46%) aumentou o investimento relacionado com a cloud privada. Tudo na tentativa de fornecer rapidamente o melhor acesso a recursos de TI a todos os colaboradores que começaram a trabalhar a partir das suas casas. Se no ano anterior já 77% das empresas tinham alguns colaboradores em trabalho remoto, desde o início da pandemia esta percentagem disparou para os 93%.

Imagem de mohamed Hassan por Pixabay

Relativamente ao setor, o relatório demonstra ainda que a área da saúde está dependente do desmantelamento das arquiteturas tradicionais, sendo que atualmente a maioria das empresas trabalham com data centers tradicionais, que não estão habilitados para a cloud (27%), comparativamente a qualquer outro setor. Uma percentagem bastante acima da média geral, que se situa nos 18%.

Nos próximos cinco anos, as empresas do setor planeiam reduzir esta discrepância, com uma queda de 21 pontos percentuais no número de infraestruturas tradicionais e um aumento de 32% na implementação de clouds híbridas.

A segurança, privacidade e o cumprimento da legislação com estas questão são um importante desafio para a transformação digital do setor da saúde, com 58% das empresas a apontarem a segurança como um desafio prioritário. Por outro lado, também o controlo de custos é uma prioridade para muitas das empresas inquiridas (45%), assim como a continuidade de negócio (45%).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

19 + twenty =