Estrutura europeia de empreendedorismo vai ter sede em Lisboa

Aliança das Nações Europeias para o Empreendedorismo para promover a inovação na Europa

Fotograma da vídeo conferencia da UE, Digital Day

A União Europeia vai desenvolver uma estrutura dedicada ao Empreendedorismo. A denominada Aliança das Nações Europeias para o Empreendedorismo, vai ter a sua sede em Lisboa e tem por objetivo tornar a Europa mais competitiva na inovação tecnológica.

O anúncio deste novo organismo europeu foi feito por António Costa, na cerimónia de abertura do Dia Digital, um evento transmitido pela internet a partir de Lisboa. O Primeiro-Ministro português anunciou ainda que um acordo deverá ser assinado durante a Assembleia Digital, que decorrerá em junho, em Lisboa.

Este acordo constituirá “uma base de entendimento para promover o respeito pelos valores europeus e pelos valores fundamentais no ambiente digital, fomentar a digitalização da economia como fator de prosperidade e competitividade, e encorajar a cooperação internacional nesta área”. 

A nova estrutura europeia de empreendedorismo – a Aliança das Nações Europeias para o Empreendedorismo/Europe Startup Nations Alliance -, pretende ser “uma ferramenta de concretização do desígnio europeu nesta área”, revelou António Costa. 

“A estrutura permanente, localizada em Lisboa, contribuirá para reforçar a marca europeia na área do empreendedorismo, evitar a fuga de empreendedores para outras geografias, reter e atrair talento, estimular o investimento, e promover a implementação das melhores práticas”, sublinhou o Primeiro-Ministro.

Este novo organismo europeu harmonizará as ações dos 27 Estados da União Europeia, para a construção de um modelo operacional de acompanhamento do ecossistema de empreendedorismo, “mais eficaz” e “focado em atingir resultados”, disse.

Imagem de Pete Linforth por Pixabay

Europa visa a liderança digital

Na qualidade de Presidente do Conselho da União Europeia, cargo que Portugal ocupa durante todo o primeiro semestre de 2021, António Costa sublinhou que a União deve ter ambição de concorrer com os mercados mais competitivos, “assumindo-se como líder digital global, em linha com a estratégia Digital Decade, apresentada pela Comissão Europeia em 9 de março”.

O Primeiro-Ministro apontou o atraso europeu em matéria de inovação tecnológica, quando comparada com outras regiões do mundo, assistindo-se a uma “fuga de investimentos para mercados mais maduros, em particular os Estados Unidos da América, e a uma dificuldade de retenção e atração de talento”. Parte desse atraso resulta de uma “fragmentação legal, regulatória e de abordagem ao empreendedorismo entre os 27 Estados-membros” da União Europeia e de “dificuldade de atração de investimento”.

Fotograma de vídeo do evento Digital Day / UE

Portugal é “fortemente inovador”

António Costa destacou que Portugal está entre os países mais avançados, sublinhando que subiu “à categoria de país fortemente inovador”, e está entre os países “mais avançados em termos de Governo eletrónico”. “Também nesta área, há cerca de um ano, e apenas alguns dias antes do primeiro confinamento em Portugal, lançámos o Plano de Ação para a Transição Digital. Um plano que vai ser reforçado agora com o músculo financeiro do Plano de Recuperação e Resiliência nacional, que dedica 3,8 mil milhões de euros à transformação digital – 23% do total, acima dos 20% regulamentares”, disse.

Durante o evento de hoje os 27 Estados da UE assinaram um conjunto de acordos que visam a harmonização de agendas nacionais, relativamente a programas de empreendedorismo, assim como a criação de standards comuns. Também foi acordada a criação de uma oferta de serviços digitais europeus e a aceleração do papel da Europa na liderança global da transformação digital verde.

Esta semana, o Conselho da União Europeia deu luz verde ao Programa Europa Digital para financiar investimentos em tecnologia de ponta no espaço comunitário, em áreas como inteligência artificial e a cibersegurança, com um orçamento global de 7,6 mil milhões até 2027.

Em junho, durante a Assembleia Digital de Lisboa será também inaugurado o cabo Ellalink, que ligará a Europa, África e a América do Sul, e “que contribuirá de forma determinante para uma maior autonomia digital europeia, no que respeita a infraestruturas e dados”, acrescentou o Primeiro-Ministro português.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

four × one =