From Start-to-Table abre candidaturas para projetos sustentáveis

Foto de Start-to-Table


From Start-to-Table, o programa de aceleração da Startup Lisboa para negócios ligados ao ecossistema da restauração, abriu candidaturas para a sua terceira edição, agora com duas categorias: “Tecnologia para Restauração” e “Conceitos de Restauração e Produtos de Food & Beverage Sustentáveis”.

Com 20 mil euros para distribuir às equipas vencedoras das duas categorias, o programa aposta na inovação tecnológica e, a partir deste ano, também no desenvolvimento de conceitos e produtos sustentáveis.

Para Miguel Fontes, diretor executivo da Startup Lisboa, esta foi uma linha natural de evolução do programa: “para além da inovação para a sustentabilidade ser uma tendência obrigatória no setor, que merece ter prioridade na nossa escolha, queremos reforçar o nosso suporte a este tipo de negócios.”

As candidaturas estão abertas até dia 20 de setembro e o programa vai decorrer de outubro a dezembro. Podem candidatar-se ao From Start-to-Table pessoas ou empresas, portuguesas ou estrangeiras, constituídas há menos de cinco anos e que tenham um projeto de tecnologia para a restauração ou novos conceitos – sejam eles de restauração ou produtos – alinhados com objetivos de sustentabilidade.

As candidaturas podem ser feitas no site do From Start-to-Table e um júri, constituído por membros da Startup Lisboa e por especialistas, selecionará 20 projetos para entrarem no programa. O From Start-to-Table tem a duração de nove semanas, deverá ocupar, em média, três dias por semana em regime de full-time e não tem qualquer custo para os participantes.

Este ano, o programa será adaptado às condições ditadas pela situação que vivemos e, por forma a privilegiar a segurança, a maioria das sessões será feita em modo remoto.

O programa da Startup Lisboa dedicado ao ecossistema da restauração já premiou vários projectos como a Why Not Soda, uma marca de refrigerantes biológicos feitos em Portugal, que forjou recentemente uma parceria com a Delta; a Breadfast, um serviço de entrega de pequeno-almoço ao domicílio, que foi comprada pela EatTasty em maio de 2019; a TempJobs, um marketplace de trabalhadores independentes, que funciona em tempo-real; a Miap, uma plataforma digital para restaurantes, bares e hotéis para pedidos e pagamento em apenas 30 segundos; a Kitchen Villages, uma rede de contentores-cozinha que permite a todos os que se querem lançar na actividade da restauração, ou o Fumeiro do Mar, um projeto que produz cavala fumada naturalmente, oferecendo ao mercado a possibilidade de diversificar o consumo de peixe, de forma sustentável.

Nas primeiras duas edições do From Start-to-Table, candidataram-se mais de 250 projetos, de mais de 30 países. A última edição acolheu participantes de 12 nacionalidades: EUA, Reino Unido, Brasil, Canadá, Israel, Alemanha, Ucrânia, Espanha, França, Bélgica, Itália e Portugal. Este ano, quer manter-se o pendor internacional do programa que está a aceitar candidaturas de todo o mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

16 − 5 =