Marcas Portuguesas Mostram Resiliência Face a Desafios Económicos

Foto de 8photo em Freepik

A EDP mantém-se como a marca mais valiosa de Portugal, com um aumento de 4% no valor da marca, atingindo os €2,5 mil milhões, segundo o mais recente relatório Brand Finance Portugal 25 2024 da Brand Finance, a principal consultora mundial de avaliação de marcas. O relatório avalia o valor e a força das marcas portuguesas num ambiente económico volátil.

A EDP continua a liderar o ranking das marcas mais valiosas de Portugal, no entanto, enfrenta desafios em termos de fidelização de clientes e força da marca. Ainda assim lidera também o ranking de Percepção de Sustentabilidade, com um valor de €258 milhões, demonstrando a crescente importância das iniciativas ecológicas na perceção da marca.

A Resiliência da Galp e do Pingo Doce também são evidenciadas no relatório. Apesar de ligeiras quedas no valor da marca, a Galp e o Pingo Doce mantêm-se nas posições de topo, demonstrando resiliência face a condições de mercado desafiantes.

Por seu turno, o Continente regista uma ascensão notável. O aumento de 49% no valor da marca impulsiona o Continente do 6º para o 4º lugar, comprovando o sucesso das suas estratégias de diversificação.

Imagem de Freepik

Já o Recheio surge como a Marca de Maior Crescimento. Com um aumento impressionante de 76% no valor da marca, o Recheio emerge como a marca portuguesa de crescimento mais rápido este ano, aproveitando a recuperação dos setores de hotéis, restaurantes e cafés.

Por fim, a NOS consolida a sua posição como a marca mais forte de Portugal, com um aumento de 10% no valor da marca e uma melhoria no Índice de Força da Marca.

“O ranking deste ano demonstra a adaptabilidade e inovação das marcas portuguesas. Embora persistam desafios, especialmente na fidelização de clientes e volatilidade do mercado, a tendência geral mostra um panorama de marcas robusto e dinâmico em Portugal”, salientou Pilar Alonso Ulloa, Diretora da Brand Finance.

O relatório destaca a importância da sustentabilidade, do envolvimento do cliente e da diversificação estratégica como principais motores do valor da marca. À medida que as marcas portuguesas navegam pelas incertezas económicas globais, a sua capacidade de inovar e adaptar-se será crucial para manter e melhorar as suas posições no mercado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

fourteen − thirteen =