Portugal é o quarto país do mundo com a maior escassez de talento

Foto de Fabrikasimf no Freepik

A maioria dos empregadores nacionais têm dificuldade em preencher as vagas que lançam para o mercado. Segundo o Talent Shortage Survey 2023 desenvolvido pelo ManpowerGroup, Portugal é o quarto país do mundo com a maior escassez de talento. Os setores nacionais da Energia e Utilities, Indústria Pesada e Materiais e Tecnologias da Informação são os que apresentam maior dificuldade em contratar e as funções de TI e Data são as mais procuradas pelas empresas portuguesas.

A escassez de talento é um indicador que reflete a dificuldade que os empregadores enfrentam para preencher as vagas de emprego disponíveis no mercado, devido à falta de trabalhadores treinados. De acordo com o estudo Talent Shortage Survey 2023, realizado pelo ManpowerGroup, 62% dos empregadores portugueses têm alguma dificuldade em encontrar candidatos com as competências desejadas e 22% sentem muita dificuldade. Apenas 12% afirmam não ter qualquer desafio em encontrar o talento de que necessitam. Os dados traduzem uma retenção de talento de 84%, mantendo-se a tendência registada em 2022, quando esse valor era de 85%.

Este resultado posiciona Portugal acima da média global, que se encontra nos 77%, mas também como o quarto país do mundo com maior dificuldade na contratação, apenas abaixo de Taiwan (90%), Alemanha (86%) e Hong Kong (85%). A escassez de talento é ainda mais elevada nos setores de Energia e Utilities, Indústria Pesada e Materiais e Tecnologias da Informação, sendo que a falta de talento mais acentuada é no setor de Energia e Utilities e da Indústria Pesada e Materiais, com 89% das empresas de ambos os setores a enfrentarem dificuldades na contratação.

Foto de Freepik

“Os primeiros meses do ano permitiram à economia nacional manter-se em terreno positivo e observamos hoje um maior dinamismo nas perspetivas de contratação para o próximo trimestre, com os dados do ManpowerGroup Employment Outlook Survey a apontarem para uma Projeção a Criação Líquida de Emprego de +16%, em alta de 4 pontos percentuais face ao trimestre anterior”, explica Rui Teixeira, Country Manager do ManpowerGroup Portugal.

“Apesar deste maior otimismo, a escassez de talento mantém-se em níveis máximos históricos, com os empregadores nacionais a reportar muita dificuldade nos seus esforços de contratação. Um cenário que é, em grande medida, resultado do atual desencontro entre o perfil de competências disponíveis no mercado e as necessidades de talento das empresas, muito vinculadas à transformação digital, à descarbonização e ao desenvolvimento de novos modelos de negócios assentes numa maior incorporação de valor”, conclui.

A capacitação dos profissionais é essencial para resolver a escassez de talento. Para o responsável do ManpowerGroup em Portugal é necessária uma atuação conjunta de empresas, academias e organismos públicos, visando a requalificação das bases de talento, o que permitirá dotar as empresas das competências necessárias e fomentar a empregabilidade atual e futura desses trabalhadores.

O estudo do ManpowerGroup entrevistou mais de 38.000 empregadores em 41 países e territórios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

18 − five =