Reclamações aumentam no setor do Turismo

Foto de Gustavo Fring em Pexels

Reclamações no setor do Turismo aumentaram 15% no primeiro semestre. Os sites de reservas e companhias aéreas lideram reclamações dirigidas ao setor. Problemas com reembolso de reservas e utilização de vouchers são queixas principais.

O número de reclamações dirigidas ao setor do Turismo registou um aumento de 15% no primeiro semestre do ano, face a 2021. Segundo dados do Portal da Queixa, os sites de reservas e as companhias aéreas lideram o maior volume de queixas (37%). Os principais motivos de reclamação referem-se a problemas com o reembolso de reservas e com a utilização de vouchersTAP, Ryanair e eDreams, são as marcas mais reclamadas.

Segundo os dados aferidos, no primeiro semestre de 2022, os consumidores portugueses registaram 2.459 reclamações no Portal da Queixa, um crescimento de 15% em comparação com o mesmo período de 2021, onde se registaram 2.136 queixas. 

Entre as subcategorias do setor com o maior volume de reclamações registado este ano, estão os Sites de Reservas de Viagens (38%); as Companhias Aéreas (37%); as Agências de Viagens (8%)e os Sites de Reservas de Alojamento (7%). Os Aeroportos, cujos problemas recentemente mereceram largo destaque mediático, ocupam apenas uma fatia de 3% no total de queixas apurado até junho. 

Ainda assim, nos primeiros seis meses do ano, os Hotéis e os Aeroportos foram as subcategorias com maior variação de crescimento face ao período homólogo, 142% e 121%, respetivamente. 

Foto de Pavel Danilyuk em Pexels

Os principais motivos de reclamação estão relacionados com o reembolso de reservas e utilização de vouchers, a gerar 37% das queixas recebidas contra o setor no primeiro semestre. Problemas com a alteração, confirmação ou cancelamento de reservas (23%); pagamentos e faturação (15%); problemas com bagagens (10%) e questões relacionadas com Atendimento/Apoio ao cliente, foram queixas reportadas por 8% dos consumidores. 

No ranking das entidades com o maior número de reclamações, a análise permitiu apurar que, lideram o topo da tabela a eDreams com 24% face ao total; segue-se a TAP com 16%; a Ryanair com 7%; o Booking a somar 4%; com a mesma percentagem de 4% cada um, está o Rumbo e a Easyjet; e com a mesma fatia de 2% está a ANA Aeroportos de Portugal, a Logitravel, a Vueling e a Tripmonster.

Ao analisar a variação face ao período homólogo, os dados do Portal da Queixa evidenciam que entre as entidades que registaram o maior crescimento, está a ANA Aeroportos de Portugal com mais 100% do que em 2021; a Logitravel com 91%; o Booking com 88% e a Tripmonster com mais 77% e a Easyjet com uma subida de 72%. Destaca-se a variação negativa do Rumbo que registou -58% de reclamações este ano, face a 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

seventeen − 7 =