Repsol recruta para o Complexo industrial de Sines

Imagem de web site de Repsol

A unidade da Repsol Polímeros, em Sines, abriu 30 vagas de emprego, na maioria para profissionais das áreas de Fiabilidade e Manutenção: Engenheiros, Encarregados, Oficiais e Inspetores, nas especialidades de Mecânica, Automação, Instrumentação e Eletricidade, além de Engenheiros de Processo e de Controlo Avançado para outras áreas.

O recrutamento surge no âmbito do investimento de 675 milhões de euros, anunciado em julho, para a expansão do Complexo Industrial de Sines, com a construção de duas novas fábricas de materiais poliméricos de alto valor acrescentado, e está alinhado com os valores da multienergética que pretende continuar a apostar na criação de emprego de qualidade, não deslocalizável.

Os selecionados farão parte de um projeto de futuro, alinhado com o objetivo da Repsol de ser uma empresa neutra em carbono até 2050. “A abertura destas vagas para o Complexo Industrial de Sines, que acabamos de anunciar, são todas elas, para nosso Complexo em Sines, e derivam basicamente da materialização do anúncio que fizemos no passado mês de julho para a ampliação do nosso Complexo, com a construção de duas novas fábricas, ambas com tecnologias que garantem a máxima eficiência energética, líderes de mercado e pioneiras na Península Ibérica”, afirmou Albino Gomes, Diretor de Pessoas e Organização da Repsol Polímeros.

A ampliação do Complexo Industrial de Sines, na ZILS – Zona Industrial e Logística de Sines, foi anunciada a 7 de julho, e conta com um investimento de 657 milhões de euros, o maior investimento industrial dos últimos 10 anos em Portugal, com o objetivo de construir duas fábricas de materiais poliméricos de alto valor acrescentado. “O investimento permitirá expandir a gama de produtos diferenciados e tornar o Complexo de Sines um dos mais avançados da Europa, devido à sua flexibilidade, elevado grau de integração e competitividade”, acrescenta o comunicado da empresa.

O projeto de ampliação contempla a construção de uma fábrica de polietileno linear (PEL) e uma fábrica de polipropileno (PP), cada uma com uma capacidade de 300.000 toneladas por ano. As tecnologias de ambas as fábricas, que garantem a máxima eficiência energética, são líderes de mercado e as primeiras do seu género a serem instaladas na Península Ibérica. A construção das fábricas deverá estar concluída em 2025.

Criado em 1972 e em operação desde 1981, o Complexo Industrial de Sines é um complexo industrial integrado, da Repsol Polímeros, que fabrica e comercializa uma ampla variedade de produtos poliméricos, abrangendo a química básica e a derivada. Localiza-se na ZILS – Zona Industrial e Logística de Sines e ocupa, atualmente, uma área de aproximadamente 100 hectares, que inclui um cracker, fábricas petroquímicas e outras unidades fabris. A Repsol Polímeros detém ainda a concessão do Terminal Petroquímico do Porto de Sines.

No decorrer do último trimestre do ano 2021 e o próximo ano 2022, serão incorporadas cerca de 100 pessoas para ocupar vagas diretas para as unidades operacionais, entre as quais estão aquelas que se originam da construção e operação de duas novas fábricas, derivadas do investimento de 657 milhões de euros, que já foi comunicado no passado mês de julho, e outras contratações necessárias para complementar o plano de substituição geracional do Complexo Industrial de Sines.

O processo de recrutamento decorre entre 23 de agosto e 10 de setembro, inclusive. As vagas podem ser consultadas no portal do Complexo Industrial de Sines, através do link https://sines.repsol.pt/pt/emprego-formacao/recrutamento/index.cshtml, ou na página oficial da Repsol no LinkedIn.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

1 × five =