RISE for Impact escolhe finalistas do programa de aceleração da Casa do Impacto

Foto de Casa do Impacto

RISE for Impact, o programa de aceleração da Casa do Impacto e da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa selecionou os três finalistas que vão participar na terceira fase do programa. Actif Age, Nevaro e Glooma vão disputar um prémio total de 6 mil euros na final, em abril.

“Os projetos finalistas desta edição do RISE estão todos comprometidos com a criação de condições para uma melhoria significativa da saúde, ainda que para públicos distintos, numa ótica de prevenção, uma estratégia alinhada com o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável 3: Saúde de Qualidade” frisa Inês Sequeira, Diretora da Casa do Impacto.

“Existem projetos com muita qualidade, em Portugal, a trabalhar nesta área e que prometem um futuro brilhante na inovação da tecnologia para a saúde. Estamos muito orgulhosos de todos os projetos que participaram nesta edição do RISE for Impact e especialmente entusiasmados com o futuro destes três finalistas”, acrescenta Inês Sequeira.

A Actif Age é uma startup que surge da necessidade de melhorar a qualidade de vida da população mais idosa. A sua missão é promover um estilo de vida mais saudável e ativo durante envelhecimento, disponibilizando um serviço de vídeos on demand com atividades físicas e cognitivas.

Para Sara Gonçalves, fundadora da Actif Age, o “RISE foi Importante para afinar o modelo de negócio e para a validação da solução para chegar a possíveis parceiros, ao mesmo tempo que estabeleceu uma relação mais forte com a Casa do Impacto e com a SCML”.

A Nevaro foi outra finalista aprovada. O seu projeto é uma aplicação móvel que, através da gamificação, contribui para a gestão e terapêutica da saúde mental através da “psicologia positiva”.

Para Rita Maçorano e Francisca Canais, fundadoras da Nevaro, “o programa teve um papel fundamental para colocar à prova o que já tínhamos construído e mudar o que era necessário voltar a construir. A rede da Casa do Impacto tem sido crucial para o nosso crescimento, tendo criado pontes fundamentais para o futuro dentro da comunidade”.

A Glooma desenvolveu um dispositivo médico para o rastreio doméstico e portátil do cancro da mama. O conceito associa a uma aplicação móvel uma luva com sensores que deteta anomalias na textura do tecido mamário.

“O RISE foi muito importante para vermos caminhos que não tínhamos ainda considerado e começar a definir pontos concretos para o futuro como procurar investimento. Foi igualmente relevante para conhecer melhor a área da saúde e ganhar visão da parte da produção para ter noção do impacto ambiental. Hoje vemos muito mais potencial na nossa ideia do que no dia em que chegámos”, sublinham Frederico Stock e Francisco Nogueira, fundadores da Glooma.

Os três projetos vão receber 1500 euros como prémio de passagem para a próxima e última fase do programa. Em abril de 2022, os três finalistas vão ser sujeitos a uma sessão de pitch perante um júri e onde serão atribuídos um prémio de três mil euros para o primeiro classificado, um prémio de dois mil euros para o segundo classificado e um prémio de mil euros para o terceiro classificado.

Este é o terceiro ano consecutivo em que a Casa do Impacto, hub de empreendedorismo social da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, apoia a inovação social através da aceleração e capacitação de projetos em fase de validação de ideias através do programa Rise for Impact.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

8 + 6 =