Startups oferecem serviço de consultas médicas gratuitas online

Logótipo do movimento tech4COVID19
Imagem de website tech4COVID19

As startups Better Now, Knok Healthcare e Zaask juntaram-se ao movimento tech4COVID19, oferecendo serviços de prestação de cuidados de saúde primários gratuitos. Estas startups têm soluções para vídeo consultas médicas grátis, aproximando profissionais de saúde de pacientes através das suas plataformas.

A operar com médicos voluntários, as startups pretendem reduzir a pressão que, na sequência do novo coronavírus (COVID-19), tem afetado o Sistema Nacional de Saúde (SNS), bem como apoiar os pacientes aconselhados a não se deslocarem às unidades de saúde, como consequência das restrições de contacto e do nível de alerta dos profissionais de saúde para o apoio a casos suspeitos de coronavírus.

Com médicos voluntários de várias especialidades, as três startups pretendem continuar a aumentar o número de médicos voluntários, de forma a garantir a capacidade de resposta rápida no serviço prestado aos pacientes.

Acessíveis e democráticas, as soluções de telemedicina são as seguintes:

BetterNow – A app, disponível para Android e iOS, junta pacientes e médicos voluntários para consultas via videochamada. O serviço é gratuito e irá ajudar no despiste de eventuais pacientes infetados por COVID-19. A BetterNow pretende ainda reforçar a sua rede de médicos voluntários, convidando os interessados a juntarem-se à plataforma.

Knok Healthcare – Disponível para Android e iOS, a aplicação, que conta com mais de 190 médicos voluntários, possibilita o acesso a consultas médicas por videochamada. Para pedir uma vídeo consulta é apenas necessário fazer download da aplicação Knok, disponível na App Store e Google Play Store, e registar uma nova conta. Os responsáveis do projeto desafiam mais médicos voluntários a juntarem-se através do email voluntarios@knokcare.com.

Zaask/Visor – A plataforma, com o apoio da startup Visor.ai, irá permitir aos pacientes uma primeira triagem de COVID-19. Para tal, será disponibilizado um chatbot, que conta com uma estrutura de despiste como a da Linha SNS 24. Caso o despiste indique a infeção por COVID-19, o paciente será encaminhado para a plataforma da Zaask, que conta com médicos voluntários preparados para a realização de vídeo consultas. A solução da Zaask/Visor pretende escalar a assistência médica tanto da Linha de Saúde como dos próprios hospitais, pondo em contacto pessoas que precisam de ajuda com os milhares de profissionais de saúde (devidamente certificados) que, por alguma razão, estão em casa.

Estes são três dos projetos que se juntaram ao tech4COVID19, um movimento criado por um grupo de fundadores da comunidade tecnológica portuguesa que pretende criar soluções tecnológicas que ajudem a população a ultrapassar o desafio do COVID-19.

O tech4COVID19 tem em curso cerca de vinte projetos de combate ao vírus. Entre outros contam-se projetos para melhorar o rastreamento de redes de contágio, facilitar vídeo consultas entre médicos e doentes; criar uma rede de suporte a médicos e enfermeiros deslocados ou a pessoas que simplesmente necessitam de ajuda para ir às compras ou à farmácia; criar um chatbot para se tirarem dúvidas dos apoios concedidos pelo estado às empresas e às pessoas singulares; acelerar a compra de material hospitalar e lançar uma angariação de fundos para compra desse mesmo material; disseminar informação, recrutamento e coordenação de profissionais de saúde ou ainda criar um sistema que permita à população verificar sintomas sem necessidade de ir ao médico, são apenas alguns dos objetivos dos projetos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

two × five =