Viver para o amanhã, em vez de o amanhã ser apenas mais um dia

Imagem de Peggy e Marco Lachmann-Anke em Pixabay

Todas as pessoas têm o seu valor – que é a forma como os outros nos veem – e os seus valores. Os valores não são mais do que o conjunto de características de uma pessoa ou organização que determina a forma como estas se comportam e interagem, de forma recorrente, com outros indivíduos e com o ecossistema. 

Os valores humanos são os princípios morais que orientam a conduta das pessoas. Esses valores constituem um conjunto de regras estabelecidas para uma convivência saudável dentro de uma sociedade, mas todos são diferentes porque cada pessoa tem os seus, resultado da sua educação, experiência de vida e meio ambiente onde cresceu, portanto, os seus valores também o são.

Assim sendo, poderão todas as pessoas ser empresárias, fundar e gerir empresas? A resposta é fácil: não. Isso não quer dizer que tenham menos valor ou valores, quer apenas dizer que todo o meio social, região do mundo, onde se instruíram, não as motiva para tal.

Ser empreendedor, de uma forma genérica, é fácil. Todos nas diversas atividades e relações que estabelecemos e desenvolvemos, em algum momento, têm uma atitude empreendedora, isto é, assumem a decisão de dizer: “Vamos lá fazer isto malta!”.

Ser empresário é viver para o amanhã em vez de o amanhã ser apenas mais um dia. É uma vontade e ambição, por vezes inexplicável, de fazer, criar, testar e inovar. Digo isto porque, ainda recentemente, a minha mulher disse-me: “Porque queres mais? Abranda um pouco, poupa-te que o mundo não acaba manhã”. Fiquei a pensar na resposta e só encontrei uma: disse-lhe que está no meu ser, no meu ADN, porque é mais forte do que eu e porque me faz mais feliz.

Foto de Usman Yousaf no Unsplash

Pensei até na fábula O Escorpião e o Sapo. O escorpião que pede a um sapo que o leve através de um rio. O sapo tem medo de ser picado durante a viagem, mas o escorpião argumenta que, se picar o sapo, o sapo iria afundar e o escorpião iria afogar-se. O sapo concorda e começa a carregar o escorpião, mas, no meio do caminho, o escorpião acaba por ferroar o sapo, condenando ambos à morte. Quando perguntado pelo sapo por que havia lhe picado, o escorpião responde que esta é a sua natureza e que nada poderia ser feito para mudar o destino. Mal comparado, é isso que está no ADN de um empresário, não pode lutar contra a sua natureza.

a recompensa de uma atitude firme e decidida não é dinheiro

Ainda assim, um empresário que seja inseguro, com pouca informação disponível, ou mesmo mal assessorado, corre o risco de, a meio do caminho, condenar todos a uma morte certa.

A recompensa de uma atitude firme e decidida não é dinheiro, longe disso. Não é prestígio, porque esse acaba com o primeiro infortúnio. É, digo eu, o prazer que dá criar. Criar com uma equipa, ver o seu sucesso como nosso, de todos. A recompensa é ver o crescimento dos nossos filhos e trabalhadores e saber que contribuímos para fazermos deles melhores pessoas, com valor e valores. Há algo mais gratificante do que isso? Eu não vejo o que possa ser.

É este o segredo de empresas bem-sucedidas, nada mais, bastante simples, não acham?

São estas PME, ou microempresas, ou startups, que, tendo isto no ADN do seu líder, as projeta para fazerem história e garante uma visão com agilidade, envolvendo todos em equipas ambiciosas, motivadas e coesas. São estas equipas executivas que têm de perceber estes valores do seu líder, adotarem-nos como seus e criar.

Tudo isto que referi é tao verdade que o próprio Luis Franco Bastos, famoso comediante, disse recentemente: “Quem quer, arranja uma maneira. Quem não quer, arranja uma desculpa”.

As desculpas estão caras, vamos lá fugir delas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

20 − three =