Web Summit ou Web Sumiço?

Foto de Web Summit

2020 foi um ano atípico devido a uma pandemia que virou o mundo e as vidas das pessoas do avesso. A readaptação foi uma das palavras-chave para profissionais e empresas. Ora, também a Web Summit não foi exceção e a maior conferência tecnológica da Europa e uma das maiores do Mundo, teve de se adaptar às novas circunstâncias. Não conseguiu.

Seria de esperar que, sendo um evento cuja componente IT é o maior dos trunfos, resultasse em pleno e com isso conseguisse afirmar-me mais uma vez como uma iniciativa forte, onde o networking é rei e os negócios acontecem a uma fração mais célere do que o normal. 

Porém, o que se verificou foi que este novo modelo apresentado não conseguiu surtir os efeitos desejados e talvez devido a um cansaço de webinários, workshops, aulas online e outras que tais – que em 2020 foram uma constante diária – o formato encontrado acabou por ser mais um entre tantos outros do mesmo género. Direi mesmo que este ano nem se deu pela realização da Web Summit tal foi a irrelevância indireta que o evento trouxe. 

Houve momentos muito interessantes em algumas conferências mas a divisão em diversos palcos online em modo simultâneo, pelo menos neste primeiro teste a sério neste formato, não resultou como a organização previu. 

Ainda assim, o networking foi reforçado e novas empresas foram dadas a conhecer em diversos segmentos, algumas das quais surpreenderam pelas ideias apresentadas na parte social e familiar. 

Num ano em que a Covid 19 foi o centro de todas as atenções e notícias, é natural que a Web Summit tenha passado ligeiramente despercebida e não fosse o facto da comunicação social dar um certo ênfase noticioso ao evento, até se podia pensar que a mesma não se efetivou. 

A dúvida reside na manutenção do formato online em conjunto com o presencial ou se o presencial, assim que seja possível, será o formato que se vai manter em definitivo. 

Para uma primeira experiência, a Web Summit totalmente feita online no ano de 2020,aproximou-se mais de um “Web Sumiço” mas não por culpa de alguém em particular (pelo menos visível) e sim devido a uma pandemia que também manifestou os seus nefastos efeitos na realização da maior conferência tecnológica a nível europeu. 

Que em 2021 a Web Summit volte a ser a referência que até aqui tinha sido, até porque Portugal ficou a ganhar em termos de projeção mundial. 2021 é considerado o Ano da Esperança, a nível sanitário, mas também válido e abrangente para todos os setores, em especial as novas tecnologias! 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

five × four =