Aplicações do Estado deixam de funcionar no Chrome

A versão mais recente do navegador Chrome já não suporta a tecnologia denominada NPAPI, que é a utilizada para processar plugins como o Java, utilizado pelas páginas Internet do Estado para proceder à entrega de declarações fiscais no Portal das Finanças ou para aceder ao Balcão 2020. Os utilizadores deverão utilizar outro navegador, como o Firefox ou o Internet Explorer, para conseguirem aceder às aplicações que utilizam estes plugins.

Além do Java, também deixam de ser acessíveis no Chrome as aplicações que funcionam com Silverlight, Acrobat Reader (anterior ao Adobe Reader X), Quicktime, Shockwave, Unity e Windows Media Player. Porém, o Java é o mais utilizado e aquele que pode provocar mais transtornos, uma vez que além das aplicações do Estado, como o Portal das Finanças, Segurança Social também é usado nas operações bancárias online de alguns bancos.

A Google, que desenvolve o Chrome, diz que decidiu abandonar a tecnologia NPAPI por razões de segurança e para aumentar a velocidade de processamento do seu browser. Além do Chrome, também o Edge, o browser da Microsoft distribuído com o novo Windows 10, não utiliza esta tecnologia, que é apontada como uma das principais portas de entrada dos ataques de hackers informáticos.

O Portal do Cidadão e o Balcão do Empreendedor desenvolveram uma aplicação que, uma vez instalada no computador, permite a autenticação do utente, mas não é claro se esta é uma solução temporária e se haverá uma resposta efetiva dos vários serviços do Estado a estas limitações. A Google tinha, desde 2013, alertado para a descontinuação desse serviço no Chrome aconselhando os criadores de websites a migrar as suas funcionalidades para a tecnologia HTML5, considerada mais segura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

18 − six =