Fediverso: A internet da próxima geração

Ilustração de NGI

A NGI, Iniciativa europeia para a criação “da Internet da próxima geração”, abriu calls para projetos inovadores que visam construir uma Internet de caracter mais humano sustentada numa estrutura de código aberto e gratuita. O modelo é o Fediverso , uma “federação” de servidores web com protocolos de comunicação abertos e partilhados por toda a rede.

A visão de descentralização, que está na origem da internet, tem sido impactada pela consolidação em larga escala na indústria, com poderosos grupos económicos ou milionários a assumir o controlo das plataformas e dos seus dados. A iniciativa “Internet da Próxima Geração” (Next Generation Internet – NGI), lançada pela Comissão Europeia (CE), pretende desenvolver futuros alternativos para a Internet, criando uma rede resiliente, confiável e sustentável.

Essa alternativa baseia-se nos princípios de tecnologia comum, utilizando open standard, software e hardware open-source e gratuitos, e open data. Esses ingredientes são ideais para recuperar a saúde da Internet na medida em que capacitam os utilizadores individuais e a comunidade a operar seus próprios serviços de Internet, em vez de elevar uma única entidade comercial a uma superposição dominante.

Um dos projetos do Fediverso mais conhecidos é o Mastodon que agora passou a contar com o apoio da iniciativa europeia. Ao contrário das plataformas de social media tradicionais, o Mastodon não é um website ou serviço único. Com mais de um milhão de utilizadores, a plataforma permite criar publicações de texto, até 500 caracteres, adicionar imagens, links e vídeos e essas publicações – ou “Toots” – são apresentadas estritamente por ordem cronológica (não existindo nenhum algoritmo para classificar e priorizar os “Toots”) e sem publicidade.

Um ingrediente essencial no espaço “social” é o standard W3C ActivityPub, desenvolvido pelo World Wide Web Consortium. Com o ActivityPub, uma pessoa pode ter a sua presença no Fediverso e ter controlo e propriedade efetivos sobre essa presença enquanto utilizador, podendo configurar a conta no seu próprio domínio, determinar as suas políticas e regras de comunidade, estabelecer as suas próprias configurações de privacidade e utilizar a mesma conta em qualquer sítio para interagir com outras pessoas.

Imagem de Gerd Altmann do Pixabay

Construir a internet da próxima geração com open standards e gratuita

A meta da União Europeia para a Década Digital 2030 visa capacitar empresas e pessoas para um futuro digital centrado no ser humano, sustentável e mais próspero. Para esse efeito a Comissão Europeia criou a iniciativa Next Generation Internet (NGI)  com o objetivo de moldar o desenvolvimento e a evolução da Internet e, ao mesmo tempo, auxiliar na tomada de decisões para apoiar os bens comuns digitais, preservando a visão original da Internet enquanto não monopolizada e não privatizada.

O investimento inicial da CE para pesquisa e inovação NGI foi de mais de € 250 milhões (no período de 2018-2020) e já apoiou cerca de 1.000 pesquisadores e inovadores da Internet envolvidos em muitas centenas de projetos. Para o período 2021-2022, a CE dedicará 62 milhões de euros para apoiar projetos inovadores da Internet nas áreas de Trust and Data Sovereignty; Trustworthy Open Search and Discovery; Arquitetura da Internet e Tecnologias Descentralizadas; bem como uma maior cooperação e colaboração entre a UE-EUA e a UE-Canadá.

Além do Mastodon, a NGI apoia várias aplicações no Fediverso como o PeerTube, o Pixelfed, o GoToSocial, o Lemmy, e o Owncast – cada uma com o seu propósito e funcionalidades. Na perspectiva dos utilizadores, o Fediverso pode ser entendido como “uma outra tipologia de páginas da web”. O PixelFed está mais orientado para a partilha de fotografias (como o Instagram). O Lemmy é uma ótima alternativa ao Reddit. E o Owncast possibilita o live streaming (como o Twitch). Cada uma destas aplicações tem valor por si. Juntas, oferecem uma alternativa real para os utilizadores que se pretendem afastar das redes sociais das grandes corporações.

Para além destas aplicações há um conjunto crescente de soluções que substituem e melhoram outras aplicações bem conhecidas do universo digital com a vantagem de usarem ferramentas e bibliotecas de código que facilitam a interação entre utilizadores de um website com outros utilizadores no Fediverso. Neste catálogo é possível explorar os mais de 700 projetos inovadores que têm sido apoiados pela NGI e que estão a reinventar a internet para que os humanos atinjam todo o seu potencial em todas as gerações.

Atualmente, a NGI tem em curso 5 Calls de Financiamento para apoiar projetos de pesquisadores académicos, startups de alta tecnologia e PMEs. O financiamento é alocado a projetos de ciclos curtos de pesquisa direcionados às ideias mais promissoras.  O foco está em conceitos e tecnologias avançadas que se vinculam a casos de uso relevantes e que podem ter impacto no mercado e na sociedade como um todo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

fifteen − thirteen =