Governo quer atrair engenheiros indianos

O ‘Startup Visa’ destina-se a facilitar a entrada e permanência em Portugal de empreendedores e pessoas altamente qualificadas em áreas em que há escassez de trabalhadores em Portugal. Numa primeira fase irá contemplar um acordo bilateral com o governo indiano, facilitando a entrada na Europa de investidores especializados em startups na área das tecnologias de informação e abrindo a possibilidade ao coinvestimento com empresas portuguesas.

‘Estamos a preparar um ‘Startup Visa‘ destinado a empreendedores indianos e a jovens quadros graduados na área das tecnologias de comunicação e informação. Tal facilitará a possibilidade de residirem e iniciarem negócios em Portugal’, disse António Costa durante a visita.

A medida é também vantajosa para a Índia, ao facilitar a internacionalização das suas empresas no mercado europeu. A Índia é já o terceiro país mundial em termos de número de ‘startups’ e tem uma posição muito forte na área das tecnologias de informação, com startups que têm gerado muito interesse de investidores norte-americanos, mas muitas vezes num papel subsidiário de empresas de Silicon Valley. Ao permitir que as empresas indianas utilizem Portugal como um ponto de entrada na Europa, possibilita-se também que sejam os próprios indianos a decidir os seus mercados de expansão e abre a possibilidade a parcerias com empresas portuguesas das TiC.

O visto vai permitir ainda atrair pessoal qualificado em áreas como a das tecnologias de informação onde atualmente há escassez de profissionais e que, segundo o governo, ‘limita o crescimento das empresas e, consequentemente, a criação de novos empregos para os portugueses’.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

ten − 6 =