Governo quer suprimir barreiras à inovação

Sublinhando que ‘ao Estado não compete substituir-se aos empreendedores’, António Costa garantiu que é vontade do governo criar melhores condições para os empreendedores e suprimir os ‘bloqueios ao desenvolvimento das startups’. ‘Temos um objetivo que é sermos o país da Europa mais acolhedor e amigo do empreendedorismo’, frisou o primeiro-ministro, elencando as 15 medidas que compõem a estratégia nacional para o empreendedorismo.

António Costa destacou a ‘Zona Livre Tecnológica’, um conjunto de alterações legislativas com o objetivo de dotar o país com ‘as melhores condições para poderem ser desenvolvidos e ensaiados, projetos inovadores na área tecnológica’, nomeadamente na facilitação de testes para o desenvolvimento de drones e veículos que não precisam de condutor.

O primeiro-ministro anunciou ainda que o governo vai abrir um concurso para que 65 startups portuguesas possam participar no Web Summit, que decorrerá em novembro, em Lisboa. O concurso será lançado em julho e os resultados deverão ser conhecidos em Setembro.

Entre as outras iniciativas do governo para dinamizar o ecossistema do empreededorismo, está um ‘Simplex’ para as Startups, e a facilitação de vistos para investidores. O governo pretende ainda fazer uma ‘grande rede de incubadoras’, dando escala a um setor que está em crescimento.

Estas medidas fazem parte de um conjunto de iniciativas para dinamizar o investimento e o crescimento das empresas com tecnologias inovadoras, apoiando as startups desde os seus passos iniciais. ‘quem tiver uma boa ideia venha falar connosco, nós queremos ajudar. […] Queremos juntar-nos aos primeiros passos de startups portuguesas… Juntamente com os amigos, família e os loucos’, brincou António Costa, recorrendo à expressão usual entre os empreendedores de que são os ‘friends, family and fools’ os primeiros investidores dos projetos de empreendedorismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

seventeen + 4 =