Indústria e Grande Consumo: Formação para retenção de Talento

retenção de talento é preocupação no setor da Indústria e Grande Consumo
Foto de aleksandarlittlewolf no Freepik

O sector da Indústria e Grande Consumo tem notado um grande crescimento a todos os níveis, nomeadamente, com a entrada de novos players nacionais e multinacionais. Esse crescimento gera problemas na gestão e retenção de talento, ao qual a formação pode dar resposta. No topo das formações mais valorizadas no sector da Indústria e Grande Consumo estão as de Liderança, Inovação, Gestão da Mudança e também Competências Comerciais.

“Formar para capacitar, motivar e consequentemente reter colaboradores, é uma necessidade atual das empresas. A diversidade de conteúdos de formação que este sector valoriza reforça o entendimento que temos de não só dar resposta a necessidades do momento, recorrendo a cursos de Gestão da mudança ou que desenvolvam as Competências Comerciais dos colaboradores, como também para adquirirem mais agilidade e maior capacidade de resposta aos desafios dos contextos que vão surgindo”, sublinha Cláudia Cerqueira, Customer Success Manager da GoodHabitz em Portugal.

A escolha por estes programas de formação revela a necessidade que o sector tem sentido em se adaptar às sucessivas mudanças do mercado, nomeadamente com a transformação digital, bem como a urgência de ter profissionais que as possam direcionar e estar ao volante nestes momentos, de forma a encontrarem-se novos caminhos e soluções para o seu futuro.

“Ao criarem esta dinâmica, as empresas, entram em rotinas que favorecem a criação de uma cultura de aprendizagem na qual a força do processo e o seu enriquecimento, passa a estar centrada nos colaboradores, aumentando assim a sua vantagem competitiva no mercado também na atração e retenção de talento”, acrescenta Cláudia Cerqueira. 

“Cursos com conteúdos ligados a novos modelos de liderança que respondam a contextos atuais e formas de interação e gestão diferenciados, Inovação, modelos de aprendizagem e organização mental, são apostas das empresas tendo em vista o desenvolvimento e crescimento das suas pessoas, alinhado com o contexto presente e previsão de necessidades futuras”, diz ainda a responsável pela GoodHabitz.

A nível nacional, de acordo com a GoodHabitz, as formações mais pedidas pelos colaboradores estão ligadas ao bem-estar, saúde mental e segurança psicológica. Por outro lado, as empresas sentem cada vez mais necessidade de formar para temas como a criatividade e espírito crítico, trabalho em equipa – principalmente quando trabalham à distância – e Comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

4 × 3 =