Kianda nomeada melhor startup na Irlanda, começa a operar em Portugal

Kianda investe em Portugal
Foto: Kianda

A Kianda nasceu em 2016 de uma parceria que foi além do matrimónio. Derya e Osvaldo Sousa, ambos profissionais na área de tecnologia desenvolveram uma plataforma de automatização de processos (Digital Business Process Automation) que revoluciona a gestão das empresas. Em 2018 receberam o prémio de Melhor Startup em Dublin, na Irlanda, e agora iniciam operação em Portugal.

Ele é luso-angolano, ela é da Turquia. Conheceram-se enquanto ambos estavam a estudar em Lisboa, mas agora vivem na Irlanda. Pais de duas crianças pequenas, os criadores desta empresa inovadora afirmam que deixar os seus trabalhos para se dedicarem a 100% ao projeto foi uma decisão necessária. O resultado desta dedicação veio em 2018 quando a Kianda venceu o prémio de Melhor Startup do ano na Irlanda. Em Portugal, dão os primeiros passos.

O fundador, Osvaldo Sousa, já tem uma experiência de 18 anos na área de tecnologia em várias empresas na Europa, nas áreas de colaboração e automatização dos processos de negócios.

O processo de automatização de tarefas administrativas não é algo novo, já existem no mercado sistemas que podem cumprir essas funções. No entanto, para Derya e Osvaldo Sousa, o desafio era fazer com que esses mesmos processos de automatização fossem fáceis de utilizar – até para uma pessoa não experiente em código – e que conseguissem ao mesmo tempo preencher as necessidades das empresas, sem grandes custos.

Assim nasceu a Kianda. A plataforma permite que as empresas acelerem a sua transformação digital através da automatização de processos baseada em formulários e aplicações fáceis de usar e rápidas de criar.

A solução pode ser utilizada para criar aplicações para gestão de processos de recursos humanos (admissão de colaboradores, avaliações, aprovações), em departamentos financeiros (emissão de faturas, gestão de pedidos, relatórios de despesas), de Tecnologia de Informação (pedido de suporte online, gestão de pedidos) e outros processos de aprovações internas.

A plataforma consegue digitalizar qualquer função básica de uma empresa com apenas alguns cliques, transformando tarefas lentas e propensas a erros manuais, em tarefas automatizadas digitalmente que melhoram o trabalho de empresas de qualquer dimensão.

Em Portugal, a Kianda conta com clientes, como a Fundação Calouste Gulbenkian, que elegeu a empresa para implementar uma solução de automatização de processos para uma significativa redução de custos e ainda um aumento na produtividade.

Para Vladimiro Sousa, Organisation Manager da Fundação Calouste Gulbenkian, “O Kianda deu-nos a capacidade de automatizar os processos de trabalho de uma maneira simples, do início ao fim, e integrando a gestão dos processos de fluxo de trabalho com as aplicações e sistemas que a organização usa. Desde a facilidade com que criamos formulários, até à maneira como podemos usar regras que nos permitem fazer os fluxos de trabalho funcionarem. Não é apenas uma aplicação, é um novo mundo é uma nova forma de trabalhar”, afirma o responsável.

Em Portugal a Kianda terá Teresa Virtuoso como regional sales manager que irá dinamizar a área das vendas, parcerias e acompanhamento de projetos em clientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

18 − two =