Marketplaces: A Nova Fronteira do Comércio Eletrónico de Retalho

Imagem de Blossom Star em Freepik

Os marketplaces estão a revolucionar o comércio eletrónico de retalho, gerando impressionantes 67% das vendas globais. Este modelo de negócio, que oferece uma vasta seleção de produtos num único local, está a ganhar terreno rapidamente, superando outros modelos de negócio em 93% dos países. O relatório da Boston Consulting Group (BCG), em colaboração com o World Retail Congress (WRC), intitulado “Investing in the Future: How Retailers Use Innovation to Gain an Edge”, destaca esta tendência ascendente.

A digitalização tem sido um motor de mudança no setor, com 60% das empresas líderes em inovação a priorizarem o comércio eletrónico. Estas empresas não só investem em marketplaces mas também em retail media e comércio social (social commerce), com um investimento médio de 13% da receita anual e um retorno sobre o investimento (ROI) de 21%. Este sucesso contrasta com os retalhistas menos inovadores, que investem apenas 3% e veem um ROI de 9%.

O sucesso dos retalhistas mais inovadores é atribuído a seis fatores-chave: tecnologia e dados, definição de objetivos estratégicos, modelo operacional, governança e orçamento, cultura organizacional e gestão de risco. Estes fatores permitem-lhes não só responder às necessidades dos clientes mas também competir eficazmente com modelos de negócio totalmente digitais.

Imagem de Freepik

Seis fatores-chave para impulsionar a inovação

No setor do retalho, a inovação é a chave para o sucesso e competitividade. A Boston Consulting Group (BCG) identificou seis fatores essenciais que os líderes de inovação no retalho utilizam para impulsionar o crescimento e manter-se à frente no mercado.

Primeiramente, a tecnologia e dados são fundamentais. Os retalhistas mais inovadores investem em infraestruturas tecnológicas avançadas e analisam grandes volumes de dados para orientar as suas decisões estratégicas. O alinhamento de objetivos estratégicos também é crucial, com iniciativas inovadoras que refletem as metas empresariais e comerciais da empresa, apoiadas por executivos que incentivam a criatividade.

Imagem de Freepik

Além disso, uma organização e modelo operacional eficientes permitem que os retalhistas distribuam recursos de forma eficaz pelas várias iniciativas inovadoras. Uma cultura organizacional que valoriza a inovação é igualmente importante, pois estimula os colaboradores a investirem em múltiplos projetos inovadores.

A governança e orçamento flexíveis são outro fator diferenciador, permitindo que os retalhistas promovam e sustentem a inovação. Por fim, uma gestão de risco eficaz equilibra os riscos e potenciais ganhos, encorajando a exploração de projetos inovadores e competitivos. Estes seis fatores são o que distinguem os líderes de inovação no retalho e são fundamentais para impulsionar a inovação no setor.

Com a previsão de que o investimento em retail media e comércio social continue a crescer, o relatório da BCG e WRC fornece uma visão valiosa sobre o futuro do comércio eletrónico de retalho e a importância da inovação para manter a competitividade no mercado global.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

four × three =