Open Innovation Event procura soluções para a transformação digital

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

O Open Innovation Event, regressa e outubro para a sua segunda edição. O evento é impulsionado pela aceleradora portuguesa BGI e pela organização europeia líder em inovação digital: EIT Digital.

Na edição deste ano que, devido à pandemia vai decorrer online, será feita uma ponte entre as empresas e o mundo das startups, com diversas corporações a apresentar às startups os desafios e oportunidades relacionados com a transformação digital, por meio de um modelo reverso.

“Este ano, estamos a fazer as coisas um pouco diferentes. As startups ou empreendedores inovadores conseguem ter, antes do evento, uma visão geral dos desafios de cada, e têm a oportunidade de enviar a sua solução online antes do evento principal, que vai decorrer no dia 29 de outubro de 2020”, explica a organização em comunicado.

A primeira edição Open Innovation Event foi no ano passado, no Porto, e contou com 75 participantes, 20 startups e 10 desafios lançados. Na edição deste ano, serão 6 desafios, propostos por 6 empresas diferentes.

Entre os desafios propostos pelas empresas está a “personificação dos contactos online” solicitado pela Vodafone. Desejam-se soluções para a falta de contacto humano, no atendimento de serviços. Embora o online permita que as pessoas permaneçam conectadas, não é o mesmo que interação pessoal.

O desafio do Hospital Lusíadas é “aumentar a experiência digital médica”. A pandemia deu origem à necessidade de uma boa oferta de serviços digitais. Pedem-se soluções para proporcionar um acesso mais eficaz no diagnóstico, garantindo elevados padrões de qualidade e experiência ao cliente.

O Hospital da CUF pretende fornecer uma experiência de “serviço virtual mais abrangente”. O objetivo é construir uma rede híbrida para os seus clientes, tanto em pontos de contato administrativos quanto clínicos, melhorando os serviços de saúde fora dos hospitais, construindo novos produtos e serviços que complementem a teleconsulta e telemonitorização que possam aumentar a autonomia do paciente.

A COVID-19 trouxe à Sogrape várias questões que a empresa procura agora ver resolvidas: Como realizar uma visita virtual às suas vinhas, adegas e caves sem perder os atributos mais valiosos dos seus visitantes, como a autenticidade, o contacto pessoal com um guia especializado de vinhos e mantendo uma experiência sensorial intensa?

Por outro lado, como é possível “explorar oportunidades digitais”, sem perder o atendimento personalizado e sugestões? Essas são as perguntas que a empresa espera que as startups respondam.

A VPS – Virtual Power Solutions, empresa que fornece ferramentas de digitalização para capacitar os consumidores de energia e otimizar as energias renováveis, procura ideias inovadoras que possibilitem uma “abordagem automatizada nos processos” de economia energética. O objetivo é ter uma abordagem que possa ser usada em grandes projetos mas que também seja aplicável a projetos menores.

Por fim, o serviço Via Verde Parking pretende “alterar a sua oferta de estacionamento” de forma a torná-la atrativa para os operadores de estacionamento, convertendo a oferta de regime de pagamento num serviço com pagamento incluído, contribuindo para um aumento de 20% das receitas correntes deste serviço.

As startups podem inscrever-se até 30 de setembro apresentando as suas candidaturas no site da BGI. O Open Innovation Event será online, no dia 29 de outubro onde as startups apresentarão as suas soluções para as empresas. Em novembro, as soluções serão avaliadas e selecionadas e a equipe vencedora de cada corporação será anunciada no Scale-Up Innovation Awards no dia 26 de novembro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

eleven + thirteen =