Portugal: “País Amigo do Empreendedorismo”


nO Programa Startup Portugal – Estratégia Nacional para o Empreendedorismo integra as três iniciativas do governo que visam promover a inovação em Portugal. Conjuntamente com o Programa Capacitar, destinado à mobilização do conhecimento existente nas universidades e centros tecnológicos para melhorar a competitividade das empresas; e com o Indústria 4.0 que envolve as empresas portuguesas no desenho de soluções para a logística e comercialização dos mercados e produtos; o Startup Portugal pretende dar melhores condições ao empreendedorismo e às novas empresas tecnológicas para que cresçam a partir de Portugal.

O objetivo é ‘criar condições comparáveis às melhores da Europa para fomentar o empreendedorismo e a criação de startups em Portugal’ garantiu António Costa no discurso de encerramento do Congresso do PS, quando falava a propósito desta medida governativa. ‘Nós precisamos de um tecido empresarial mais diversificado e de emprego mais qualificado. Por isso nós precisamos de novos empreendedores e novas iniciativas empresariais, porque é assim que vamos modernizar a nossa economia’, sublinhou.

Segundo o governo este ‘não é um programa de estímulo ao empreendedorismo para fazer com que todos os portugueses pensem criar empresas’, mas um programa para quem já é empreendedor. O alvo serão as empresas que já estão criadas, e o objetivo é combater a elevada ‘taxa de mortalidade’ de pequenas e médias empresas recentes. Através do Startup Portugal o governo pretende atrair investidores nacionais e estrangeiros, cofinanciar startups, promover e acelerar startups portuguesas nos mercados externos e implementar medidas públicas de apoio ao empreendedorismo. Para isso, o governo mobilizou um conjunto de agências e serviços do Estado, como o IAPMEI (Agência para a Competitividade e Inovação), PME Investimentos, IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional), IFD (Instituição Financeira de Desenvolvimento), Turismo de Portugal e IPDJ (Instituto Português do Desporto e Juventude).

‘queremos que toda a gente saiba que Portugal é o país mais amigo do empreendedorismo em toda a União Europeia’

As medidas de apoio já conhecidas que integram e suportam este programa do governo são: Alavancar a participação portuguesa no Web Summit e criar uma Zona Livre Tecnológica em Portugal. Criar os Vales de Incubação e de Aceleração e desenvolver uma Aceleradora portuguesa de referência na Europa; lançar a Rede Nacional de Incubadoras, a Rede Nacional de FabLabs e as Calls Startup Portugal. nNo âmbito do financiamento pretende criar linhas de cofinanciamento com Business Angels e com agências de Capitais de Risco; lançar os programas ‘Momentum’, ‘Semente’ e o ‘Startup Voucher’. Também orientar o ‘Simplex’ também para as startups, promover a inovação das empresas portuguesas nos maiores eventos tecnológicos do mundo e regulamentar as novas formas de financiamento como a equity crowdfunding e o peer-to-peer. ‘Estas políticas são determinantes para a nossa capacidade de internacionalização, de captação de investimento direto estrangeiro e aumento das exportações’ destaca o ministro da Economia Manuel Caldeira Cabral. O Programa Startup Portugal foca-se nestas balizas e abrange todo o país.

A meta para obter os primeiros resultados é, para António Costa, o Web Summit, porque ‘quando, em novembro, acolhermos o maior evento mundial de empreendedorismo tecnológico, queremos que toda a gente saiba que Portugal é o país mais amigo do empreendedorismo – e o país mais amigo de startups – em toda a União Europeia e dessa forma modernizar o nosso tecido empresarial’.

O lançamento oficial está marcado para as 14 horas, no Antigo Matadouro Industrial do Porto, e a iniciativa contará com a presença do Primeiro-Ministro António Costa, do Ministro da Economia Manuel Caldeira Cabral e do secretário de Estado da Indústria João Vasconcelos (ex-diretor geral do programa Startup Lisboa).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

eleven + thirteen =