Taxa de Desemprego Fixa-se em 6,3%

De acordo com a mais recente análise da Randstad aos dados estatísticos do Instituto Nacional de Estatística (INE), do Serviço Público do Emprego Nacional (IEFP) e da Segurança Social, o mês de abril de 2024 apresentou uma descida simultânea no número de novos empregos mas também no numero de desempregados, com a taxa de desemprego a situar-se nos 6,3%.

Segundo o INE, abril registou uma redução de 17.600 pessoas empregadas, o que representa uma queda de 0,4% em relação ao mês de março, fixando o número total de empregados em 5.004.700. Simultaneamente, a população ativa diminuiu em 24.900 pessoas (-0,5%), resultante da redução tanto da população empregada como da desempregada. A taxa de desemprego caiu 0,1 pontos percentuais, situando-se agora em 6,3%.

A análise por género mostra que 2.400 homens deixaram de estar desempregados, uma redução de 1,6%, enquanto nas mulheres a diminuição foi de 2,4%, com 4.800 mulheres a saírem da situação de desemprego. No grupo etário dos adultos (25-74 anos), verificou-se uma redução de 3.400 pessoas desempregadas, o que equivale a uma queda de 4,0%.

Comparando com abril de 2023, houve um aumento de 73.600 profissionais empregados (+1,5%) e a população ativa cresceu em 63.800 pessoas. No entanto, o desemprego aumentou entre as mulheres (+10.000) e jovens (+12.500), enquanto diminuiu entre os homens (-19.800) e adultos (-22.400).

Por seu turno, os dados do IEFP indicam uma diminuição mensal nos pedidos de emprego (-0,6%) e no número de desempregados registados (-1,9%) face a março. Esta descida foi generalizada em quase todas as regiões, com exceção da Área Metropolitana de Lisboa (+487 pessoas, +0,4%) e da região Centro (+34 pessoas, +0,1%). No Algarve, verificou-se uma redução significativa de 3.538 desempregados (-19,4%).

A Randstad destaca que abril registou uma diminuição de 1,9% no desemprego registado face a março, um valor positivo, mas que representa a menor queda para um mês de abril na última década, sugerindo uma desaceleração no mercado de trabalho.

Isabel Roseiro, diretora de marketing da Randstad Portugal, comenta: “Os dados de emprego para abril são geralmente caracterizados por uma queda acentuada, devido ao aumento das contratações no setor do turismo, alojamento e restauração. O facto de esta ser a menor diminuição dos últimos 10 anos pode indicar desafios no mercado de trabalho, como a escassez de talento.”

Esta análise sublinha a complexidade e os desafios atuais do mercado laboral em Portugal, destacando a importância de estratégias eficazes para atrair e reter talento, especialmente em setores chave como o turismo e a restauração.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

eleven + four =