5G é fundamental para a Europa alcançar os objetivos climáticos

Foto de Mika Baumeister no Unsplash

Num momento em que os países europeus aumentam os seus esforços para atingir as metas em matéria de clima, um novo estudo à escala europeia demonstra que a implementação da tecnologia 5G em quatro setores responsáveis por um número elevado de emissões (energia, transportes, produção e construções) pode permitir uma redução das emissões anuais, equivalente à que seria alcançada com a retirada de 35 milhões de automóveis, ou seja: de um em sete automóveis, das estradas europeias.

Segundo o relatório Net-Zero Europe, da McKinsey, a implementação acelerada da conectividade de 5G em toda a Europa e no Reino Unido terá um impacto imediato e catalisador na redução das emissões equivalentes de dióxido de carbono (CO2e), de acordo com o estudo encomendado pela Ericsson.

As conclusões deste estudo destacam a necessidade de acelerar a implementação do 5G em toda a Europa com vista a atingir objetivos de descarbonização ambiciosos a nível nacional e europeu até 2030. Se aplicada a conectividade 5G em quatro setores-chave, responsáveis por um elevado número de emissões, poderá contribuir para uma diminuição anual das emissões equivalente à retirada de 1 em cada 7 automóveis (mais de 35 milhões de automóveis) das estradas europeias.

Estas soluções, como o desenvolvimento de geradores de energia renovável, poderão reduzir as emissões da UE em 550 milhões de toneladas equivalentes de dióxido de carbono (550MtCO2e), ou seja, quase metade das emissões criadas por todo o setor de fornecimento de energia da UE em 2017, e 15% das emissões anuais totais da UE em 2017, o ano escolhido como referência para o estudo.

Se adicionarmos as reduções conseguidas através da aplicação do 5G nos quatro setores responsáveis por um número elevado de emissões, a redução total de emissões poderia chegar perto dos 20% do total anual de emissões da UE em 2017. Isto equivale às emissões anuais totais da Espanha e da Itália juntas.

Apesar do potencial em jogo, uma nova previsão relativa à implementação do 5G, do Mobility Report anual da Ericsson, apresenta um cenário preocupante para a Europa. No final de 2020, a cobertura do 5G abrangia cerca de 15% da população mundial. Em 2027, apenas três anos antes da data prevista para a redução para metade das emissões globais com vista a limitar o aquecimento global a 1,5ºC, novas previsões indicam que a implementação global rondará apenas cerca de 75%.

Por outro lado, prevê-se que na América do Norte e no Nordeste Asiático a cobertura do 5G abranja mais de 95% da população até 2027. Portanto, em contraste, a Europa ficará muito atrás dos seus concorrentes económicos com uma cobertura superior a 80%.

Börje Ekholm, Presidente e CEO da Ericsson, afirma: “A UE e o Reino Unido definiram metas ambiciosas para reduzir as emissões de carbono, que exigirão mudanças transformadoras em toda a sociedade. Este novo estudo demonstra que a conectividade e, especificamente, o 5G são cruciais para atingir essas metas de descarbonização. É difícil perceber de que forma essas metas serão atingidas sem que a implementação da infraestrutura digital em toda a Europa seja acelerada para acompanhar a de outros países e regiões do mundo desenvolvido líderes neste domínio”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

5 + twelve =