6 dicas para tornar a sua marca pessoal referência no mercado

Defina a sua marca pessoal
Foto: Pixabay

Há mais de 20 anos que a Marca Pessoal é usada como uma poderosa ferramenta para destacar pessoas no mercado em que atuam, porém são poucos os que a conhecem e utilizam. Talvez quando Tom Peters escreveu o pioneiro artigo “The Brand Called You“, em setembro de 1997, na revista FastCompany, não imaginasse que 20 anos depois, fosse cada vez mais necessário o uso da marca pessoal como veículo de diferenciação entre profissionais.

O foco do meu trabalho é nas pessoas, mas não qualquer pessoa. Gosto de desenvolver projetos de personal branding para profissionais de alta performance, sejam eles líderes em corporações, ou profissionais independentes que precisam da própria imagem para diferenciar-se.

Nas consultorias individuais ou quando converso com grupos, dentro ou fora de corporações, noto que as dúvidas mais recorrente das pessoas, são: “Como faço meu trabalho aparecer?” “Como posso vender mais?” “Como me torno referência?” “O que faço para ser mais visível e competitivo?”

Como especialista em impulsionar pessoas e as suas carreiras, utilizando o que elas têm de mais precioso – a personalidade e as suas características únicas – posso afirmar que quem quiser mudar sua imagem de marca pessoal (e eu não esperaria pelo início do ano), deve estar atento a estas ações:

 

PROPÓSITO – Pessoalmente, considero muito frustrante simplesmente trocar o seu tempo de trabalho por dinheiro, sem ter um propósito. E propósito, para mim, é trabalhar no que se gosta de fazer, sendo útil para si e para os outros. Tente responder a estas duas perguntas: “Você percebe que o seu trabalho tem valor? Ele traz benefícios para as pessoas à sua volta e para os outros?” e “Por que você está fazendo o que está fazendo?”. A pessoa que sai da sua casa (ou não), trabalha horas e horas porque precisa do dinheiro, recebe, gasta, come, dorme, acorda, trabalha e assim por diante é muito mais feliz e satisfeita consigo quando sua atividade faz sentido. É simples.

 seja exatamente quem você é, e ofereça o que faz de melhor

TENHA CONSCIÊNCIA DO SEU VALOR – E não me refiro a dinheiro. Quando sabemos o valor do trabalho que oferecemos, quando temos plena consciência do nosso caráter único e especial, quando conseguimos que os nossos clientes nos percebam desta maneira, então as pessoas nos valorizam como marcas admiráveis. É importante deixar claro, quando exercita o seu marketing pessoal, quais os problemas que você resolve para o seu cliente, e por que ele escolhe você e não o seu concorrente.

 

CONCORRÊNCIA – Eu sempre digo para os meus clientes que eles não devem dar muita atenção à concorrência. Olhar para os lados serve apenas para saber como a concorrência se movimenta no mercado. Ao olhar para dentro e para frente, você se torna mais forte, focado e consegue ser mais visível para o público que lhe interessa.

 

AUTENTICIDADE – Seja autêntico, com as suas qualidades e defeitos. Aliás, quem tem consciência das próprias dificuldades (pessoais ou profissionais) lida melhor com a autoestima, falhas ou derrotas. Não queira parecer perfeito. Ninguém o é, e você vai parecer artificial. Ser autêntico gera identificação e emoção nas pessoas que interagem com você, seja pessoalmente ou nas redes sociais. Lembre-se: é a sua diferença que o faz único no mundo.

 

NETWORKING – Fazer networking é uma arte. Nada de sair atirando para todos os lados. Em primeiro lugar, acho importante ter objetivo. Foque em interagir, em conhecer pessoas que você percebe que serão importantes na sua jornada rumo ao objetivo. Interaja, entre em contato, exponha a sua intenção. Isso facilita as relações. Ao enviar um convite nas redes sociais, apresente-se, justifique-se. A maioria não faz isso. Então faça! Participe de eventos pertinentes à sua área de atuação e cuide da sua boa imagem de marca.

 

CONTEÚDO – Deixei por último o que considero o coração de uma marca pessoal poderosa. Produza o seu próprio conteúdo. Ele é só seu, é genuíno, é a pegada que você deixa por onde passa. Escreva sobre suas experiências (o que você faz de melhor é a sua pauta), partilhe seus erros e acertos. Isso gera interesse e utilidade! Se gosta de fotografar, poste o seu olhar sobre o tema que você escolher. Use o LinkedIn Pulse para escrever artigos, ocupe o território que tem o seu nome, a sua marca dentro e fora das redes sociais. Se tem talento para vídeos, explore o Stories do Instagram, o YouTube.

Ocupe espaços sendo exatamente quem você é e ofereça o que você faz de melhor. O resultado vem, pode acreditar.

 

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

5 × 4 =