Aceler@Tech revela os 20 finalistas do programa de inovação para o Turismo

Foto de Sara Darcaj no Unsplash

1ª edição de programa internacional da Acredita Portugal para aceleração no setor do Turismo entra na fase final. Depois de uma primeira fase em que acelerou 300 projetos, o Aceler@Tech in Portugal escolheu os 20 finalistas que vão participar na fase final de aceleração em que estão em disputa 20 mil euros em prémios financeiros e a possibilidade de desenvolverem projetos piloto junto de empresas portuguesas.

O programa organizado pela Acredita Portugal com o apoio do Turismo de Portugal para potenciar a inovação no Turismo e atrair investimento para Portugal, anunciou os 20 finalistas. Depois de uma primeira fase de aceleração do programa que capacitou as startups para implementação dos projetos, os 20 finalistas, agora anunciados, transitam para uma segunda fase de aceleração, na qual irão ser postos em contacto com diversos mentores com experiência no desenvolvimento de negócio e/ou na área do Turismo, investidores nacionais, empresas portuguesas líderes do setor com quem poderão desenvolver pilotos e startups portuguesas ligadas ao Turismo com quem poderão explorar sinergias.

Entre os finalistas, todos com soluções tecnológicas para o Turismo, contam-se projetos de visitas virtuais com imersão em 3D; plataformas de bilhética para eventos, assente em tecnologia blockchain; ou uma plataforma de promoção e partilha de experiências de cultura gastronómica.

Mulher na coberta de um navio, fotografando a Baixa de Lisboa.
Foto de Suad Kamardeen no Unsplash

Projetos Finalistas

A primeira edição do programa contou com três centenas de candidaturas oriundas de todo o mundo. A maior parte dos projetos candidatos são europeus, mas estão representados todos os continentes, e, para além de Portugal, os principais países inscritos foram o Brasil, EUA, Índia, Singapura, Paquistão, Grécia, Alemanha e Espanha.

O objetivo do Aceler@Tech é criar e desenvolver novos negócios baseados em ideias inovadoras e disruptivas no setor do Turismo, apoiando o desenvolvimento de projetos que contribuam para a sustentabilidade económica, social e ambiental e agregando tecnologias e métodos disruptivos que ajudem as empresas a passar dos modelos operacionais tradicionais para tecnologias avançadas e processos mais eficientes.

O programa visa ainda ajudar as startups a adquirirem conhecimentos, redes e apoios especializados para transformar e integrar a sua ideia nos ecossistemas digitais portugueses e europeus; destacar soluções de promoção e desenvolvimento de produtos e recursos locais com origem em zonas rurais; e apresentar soluções inovadoras para a recuperação do setor do Turismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three × five =