Projeto para defumar o peixe vence Concurso de Ideias de Negócio do projeto AgriEmpreende

Agrocluster selecciona vencedores do concurso Agroempreende
Foto: Pixabay

Transformar os peixes cavala e tainha em iguarias defumadas com alto valor nutritivo e sem aditivos ou corantes, produzir e comercializar o primeiro pastel de nata Vegan e conciliar dois produtos alimentares para criar azeite em pó com salicórnia em pó ou desidratada. São estes os três projetos vencedores da 3ª edição do Concurso de Ideias de Negócio do projeto AgriEmpreende, que recebeu 21 candidaturas, no total, para os seguintes temas a concurso: novos produtos agro-industriais, valorização de subprodutos agro-industriais, Saúde e Bem-estar e Agro-Turismo. O projeto é promovido pelo Agrocluster em parceria com o Inovcluster.

A ideia “Fumeiro do Mar” foi a grande vencedora do 3º Concurso de Ideias de Negócio do projeto AgriEmpreende. Propõe transformar os peixes Scomber colias, a conhecida cavala, e Mugil cephalus, a tainha, em iguarias defumadas com alto valor nutritivo sem aditivos ou corantes. Os peixes serão filetados e defumados com fumo de lenha e os produtos finais comercializados em Portugal e no estrangeiro. As aparas serão ainda aproveitadas para produzir enchidos de peixe. Além destas duas espécies, este projeto pretende alargar a fumagem a espécies provenientes da aquicultura.

O projeto “Pastel de Nata Vegan”, segundo classificado, pretende dedicar-se à produção e comercialização do primeiro pastel de nata Vegan, pronto a comer em todo o lado.

O pódio fica completo com o projeto “Condimento de Azeite em Pó com Salicornia”, que idealiza um produto inovador, ao conciliar dois produtos alimentares extremamente versáteis e saudáveis para produzir azeite em pó com salicórnia em pó ou desidratada.

Os três vencedores vão receber os seguintes prémios: 5000€ para o primeiro classificado, 3000€ para o segundo e 1000€ para o terceiro. Para além do valor monetário, o prémio inclui pré-incubação física para desenvolvimento do projeto em sistema de co-working por um período de 3 meses na Startup Santarém ou no Cei – Centro de Empresas Inovadoras, e incubação física pós início de atividade em sistema de co-working reservado por um período de 6 meses na Startup Santarém ou no Cei – Centro de Empresas Inovadoras.

As candidaturas foram avaliadas pelo júri do Concurso, composto por Luis Farinha (Docente do Departamento de Gestão e Economia e Investigador NECE – Research Center in Business Sciences da UBI), Cristina Pintado (Responsável Técnico do Laboratório de Microbiologia e Responsável Técnico do Laboratório de Análise Sensorial do CATAA – Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar de Castelo Branco), Carlos Lopes de Sousa (Presidente da Direção do Agrocluster), Pedro Félix – (Diretor Executivo do Agrocluster) e Manuel Laranja (especialista em Inovação, Empreendedorismo e Estratégia Industrial).

Segue-se agora dois programas de aceleração para os projetos vencedores, que se juntam a outros empreendedores para estas açoes. Já está a  decorrer nas instalações da Startup Santarém um dos programas, estando previsto para ainda este mês o início do quarto e último programa de aceleração, a realizar no CEI, em Castelo Branco

O projeto AgriEmpreende é promovido pelo Agrocluster em parceria com o Inovcluster, financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização e visa a criação e dinamização de uma estrutura técnica de apoio ao empreendedorismo que potencia a geração de ideias de negócio, a criação de novos produtos e novas empresas na fileira agroalimentar, especialmente ao nível do empreendedorismo qualificado e criativo. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

sixteen + 16 =