Banco de Portugal: Economia Portuguesa cresce 2,7% em 2023

Primeiro-Ministro António Costa durante visita a empresa de iluminação Schréder (foto de Rodrigo Antunes/Lusa)

O Banco de Portugal (BdP) atualizou as suas previsões para o crescimento económico do país, estimando agora um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,7% em 2023. Os dados constam do Boletim Económico de junho, publicado esta sexta-feira, e apontam para uma forte expansão do Produto Interno Bruto (PIB) português, de 2,7% em 2023, muito acima das previsões de março deste ano, quando o banco central antecipava apenas um avanço de 1,8%.

Reagindo a este anúncio do BdP, o Primeiro-Ministro, António Costa, atribuiu este aumento à transformação estrutural da economia portuguesa. Durante a visita à multinacional Schréder, localizada no concelho de Oeiras, reconhecida mundialmente pelas suas soluções inteligentes de iluminação. O Primeiro-Ministro afirmou que as novas previsões do BdP representam uma grande subida nas perspetivas de crescimento económico para o próximo ano e destacou que esse crescimento está fundamentado numa mudança estrutural da economia nacional.

António Costa enfatizou a importância das qualificações no processo de transformação da economia portuguesa, salientando a sua evolução significativa nas últimas três décadas. A Schréder foi apontada como um exemplo prático desse progresso. Fundada nos anos 50 como uma produtora de luminárias em Portugal, a empresa atualmente desenvolve novos produtos no país, contando com uma equipa de excelentes operários e engenheiros altamente qualificados, incluindo 10 doutorados.

Como ilustração das inovações da empresa, o Primeiro-Ministro mencionou um candeeiro urbano, produzido pela Schréder, que “também permite carregar carros elétricos e disponibiliza informação fundamental para uma gestão mais eficiente do espaço urbano, porque dá informações sobre a humidade e o clima, permitindo gerir a rega. Também melhora a regulação do sistema semafórico, já que dá informações sobre o tráfego.”

“Crescimento do PIB é consequência da transformação estrutural da economia portuguesa”

António Costa

António Costa destacou ainda outros setores que têm impulsionado o crescimento económico, como a indústria automóvel, que registou um aumento de 22% nas exportações de componentes, bem como o setor das bicicletas, onde Portugal se destaca como o principal produtor europeu, fornecendo um quarto do mercado de bicicletas do continente, principalmente as elétricas.

O Primeiro-Ministro elogiou a resiliência das empresas portuguesas durante os desafios dos últimos dois anos, referindo que responderam de forma positiva aos “choques inesperados e com a violência daqueles que temos conhecido”, incluindo a pandemia de Covid-19.

A Schréder, empresa de iluminação em atividade desde 1956, alcançou uma faturação de 50 milhões de euros em 2022, emprega 197 funcionários e destina 60% da sua produção industrial à exportação.

António Costa visitou a empresa acompanhado pelos Ministros da Economia e do Mar, António Costa Silva, do Ambiente e Ação Climática, Duarte Cordeiro, e pelo Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, António Mendonça Mendes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

eighteen + six =