Bison Bank promove conferência sobre o novo Regime de Gestão de Ativos

António Henriques, CEO do Bison Bank
Na foto: António Henriques, CEO do Bison Bank

O Bison Bank, banco de investimento especializado na gestão de património, realizou recentemente a conferência Bison Talks, com foco no novo “Regime de Gestão de Ativos” (RGA) e seu impacto na economia portuguesa. A conferência reuniu representantes de várias sociedades de advogados, incluindo a Antas da Cunha Ecija & Associados, Cuatrecasas, Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados e Sérvulo & Associados, que discutiram as implicações do novo regime, especialmente no que diz respeito ao papel do Depositário.

O RGA, que se estende até novembro, tem como objetivo harmonizar o tratamento dos organismos de investimento coletivo em Portugal, alinhando a legislação local com as normas europeias e simplificando as relações entre os participantes do mercado e a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). A iniciativa visa promover o investimento na economia portuguesa.

Durante a conferência, Nuno Correia, Patrícia Oliveira e Ricardo Mimoso, representando o Bison Bank, discutiram o papel do Depositário no âmbito do RGA e da legislação europeia. A conferência também contou com uma mesa-redonda moderada por António Henriques, CEO do Bison Bank, e participação de representantes de sociedades de advogados.

António Henriques, CEO do Bison Bank, destacou a oportunidade de desenvolver o ecossistema dos organismos de investimento coletivo internacionalmente com a marca Portugal. “Olhar para a oportunidade de desenvolver internacionalmente o ecossistema os organismos de investimento coletivo com a marca Portugal e através do Bison Bank e dos seus parceiros, é algo que nos motiva diariamente”, referiu.

Os principais desafios do Depositário foram abordados na mesa-redonda, incluindo a extensão de seus poderes e deveres de controlo e fiscalização, o potencial futuro de um passaporte europeu para a prestação de serviços de Depositário, as implicações do investimento em criptoativos pelos organismos de investimento coletivo, entre outros tópicos.

Vários participantes da mesa-redonda comentaram sobre a evolução e os desafios enfrentados pelo setor. Filipe Lowndes Marques, Sócio da Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, afirmou que Portugal poderá estar na vanguarda ao permitir que valores mobiliários clássicos sejam representados por tokens. Paulo Câmara, Sócio da Sérvulo & Associados, salientou a função crucial dos depositários em um contexto de mudança regulatória e de mercado. Joana Cunha D’Almeida, Sócia da Antas da Cunha Ecija & Associados, enfatizou a competitividade fiscal de Portugal para atrair investidores estrangeiros, enquanto Francisco Soares Machado, associado sénior da Cuatrecasas, discutiu as questões jurídicas e operacionais relacionadas com fundos de investimento em criptoativos.

O Bison Bank, S.A. é um banco europeu, com sede em Lisboa, e propriedade de investidores chineses de Hong Kong. Com mais de 20 anos de experiência em Portugal o Bison Bank está especializado em serviços de Wealth Management, Banco Depositário e Custódia e Banca de Investimento, para clientes individuais e institucionais e está envolvido em ativos digitais através da sua subsidiária, Bison Digital Assets, S.A.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

2 × 2 =