Bright Pixel premeia empreendedorismo na Universidade de Aveiro

campus da universidade de Aveiro
Foto: website UA

A Bright Pixel, sociedade de investimentos tecnológicos, e a Universidade de Aveiro juntaram-se, no início do ano letivo, para incentivar o empreendedorismo entre os alunos desta instituição de ensino. Da iniciativa resultou a criação de 14 protótipos tecnológicos, mentorados pela Bright Pixel e pela Sonae MC, sendo que dois deles foram realizados em colaboração com o grupo Sonae. A equipa vencedora viu as suas propinas do 2º ano de mestrado financiadas na totalidade e os estudantes que ficaram em 2.º lugar receberam um apoio de 50% nas propinas.

O projeto-piloto liderado pelo venture builder studio dirigia-se aos alunos do Mestrado em Comunicação e Multimédia (MCMM) da Universidade de Aveiro e, além do prémio mencionado, disponibilizava também uma bolsa a cada grupo de alunos para aplicarem em tecnologia e materiais necessários, com o objetivo de impulsionar a criação de soluções inovadoras.

Durante o ano letivo, foram realizados momentos de mentoria com a Bright Pixel e outras empresas do grupo Sonae, com as quais foi possível colaborar. Exemplo disso foram a Grønn, projeto para criar paredes interativas que ajudam o cliente a selecionar os eletrodomésticos com maior eficiência energética, e que terminou em 1.º lugar, e a Avocado, plataforma de suporte ao planeamento de auditorias alimentares. A Work UP, uma solução composta por hardware e mini-jogos a serem utilizados durante o horário laboral, para reduzir as lesões e aumentar a produtividade, ganhou o 2.º prémio.

“Estamos orgulhosos de ter lançado, em conjunto com a Universidade de Aveiro, este projeto inovador a nível universitário em Portugal. A Bright Pixel tem como objetivo impulsionar a criação de novos projetos e apoiar a sua transformação numa startup de sucesso e acreditamos que este espírito empreendedor deve ser incutido desde cedo. Ao observarmos a recetividade e criatividade destes alunos, percebemos o quão importante é que as universidades intervenham neste processo. Há muito potencial nos jovens portugueses e é preciso incentivá-lo, porque há espaço para inovar dentro e fora de Portugal”, explica Celso Martinho, cofundador e CEO da Bright Pixel.

“O resultado desta parceria ultrapassou a nossa expectativa inicial. O modelo de Project Based Learning adotado no MCMM foi de uma grande utilidade na dinamização das atividades. A experiência na área da indústria e a visão de negócio dos parceiros da Bright Pixel e da Sonae MC permitiram complementar a formação académica da responsabilidade do corpo docente do mestrado, com uma visão e mentoria externa, orientadoras para a criação de startups.”, afirma Carlos Santos, diretor do MCMM.

Esta foi a primeira vez que uma empresa disponibilizou financiamento a alunos para desenvolverem projetos, dando-lhes total liberdade criativa. No total, 30 alunos participaram na iniciativa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

2 + fifteen =