CDI Portugal lança prémio ‘Transforma TI’ para aplicações tecnológicas

Programa de aceleração para jovens arranca em Valongo
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

O Município de Valongo e o CDI Portugal, entidade responsável pelo Apps for Good – programa educativo tecnológico em que jovens criam aplicações para resolver problemas – lançam o prémio ‘Transforma TI’ que irá distinguir as melhores aplicações tecnológicas que resolvam problemas sociais.

O prémio será atribuído no final do programa de aceleração que hoje se inicia no Centro de Cidadania Digital de Valongo. Este programa de aceleração coordenado pela Apps for Good vai ajudar a desenvolver ideias ou soluções tecnológicas nas melhores apps para que estejam prontas a serem usadas e comercializadas em Android ou IOS. O produto tecnológico deverá obrigatoriamente ter um fim social que ajude a resolver questões do dia-a-dia e que promovam a melhoria da qualidade de vida dos utilizadores ou a resolução de um problema da comunidade.

Os participantes têm entre 12 e 35 anos, são residentes ou estudantes no Conselho de Valongo e têm uma ideia ou uma app já desenvolvida, mas não comercializada ou disponível no mercado. A participação na competição envolve duas modalidades: Full Stack, em que integram 13 sessões de 2 horas semanais para desenvolver o produto tecnológico com acompanhamento especializado e mentoria; ou Flex Path, para projetos mais avançados em que os participantes apenas precisam de comparecer a 3 sessões de acompanhamento.

Seis melhores soluções tecnológicas recebem prémio monetário e serão conhecidas a 17 de julho

A competição arranca hoje, dia 18 de abril, e os vencedores do Prémio Transforma TI serão conhecidos no dia 17 de julho. A ideia, o produto e a comunicação da ideia serão os três critérios que o júri irá avaliar para determinar as 6 melhores aplicações, seja a nível individual ou em equipa, que serão galardoadas com um prémio monetário de 1.500€.

“Queremos ajudar a transformar ideias inovadoras em projetos de empreendedorismo social, promovendo o talento tecnológico e desenvolvendo as competências sociais de todos os jovens de Valongo. O Centro de Cidadania Digital de Valongo quer ajudar a transformar o concelho num cluster tecnológico de referência nacional”, afirma João Baracho, diretor executivo do CDI Portugal, acrescentando ainda que iniciativas destas só são possíveis quando incentivadas por executivos municipais com uma visão clara da importância da tecnologia para a modernização e bem-estar das comunidades.

Operacionalizado pelo CDI Portugal e promovido pela Câmara Municipal de Valongo, o Centro de Cidadania Digital está na sua segunda edição em Valongo. A metodologia de resolução de problemas da comunidade característica do CDI Portugal adaptou-se às autarquias produzindo o Centro de Cidadania Digital que é um laboratório vivo onde a tecnologia é usada como meio para um fim social. O compromisso é ajudar as pessoas a apropriarem-se das TIC e transformarem-se criativas, colaborativas e empreendedoras, no encontro de soluções conjuntas para a sua vida e comunidade.

Para além do Centro de Cidadania Digital e integrado na mesma estratégia, o Município de Valongo receberá pela segunda vez o Encontro Regional do Apps for Good, no dia 28 de junho.

Também lançado pelo CDI Portugal, o Apps for Good é um programa que pretende seduzir jovens (entre os 10 e 18 anos) e professores para a utilização da tecnologia como forma de resolver os seus problemas, propondo um novo modelo educativo mais intuitivo, colaborativo e prático. O objetivo do programa é o desenvolvimento de Apps para smartphones e tablets que possam contribuir para a resolução de problemas relacionados com a sustentabilidade do mundo em que vivemos.

A operacionalização do programa decorre ao longo do ano letivo, onde professores (de todas as áreas disciplinares) e alunos têm acesso a conteúdos online com uma metodologia de projeto de 5 passos. Para apoiar no desenvolvimento do projeto, os participantes têm acesso a uma rede de especialistas que se ligam online à sala de aula, para prestar todo o apoio de esclarecimento de dúvidas. O modelo de implementação poderá ser em regime curricular ou extracurricular.

No final do programa, as escolas poderão optar por participar na competição que está dividida em duas fases: Encontros Regionais – semifinais em que todos os alunos são convidados a ir a Marketplace e a fazer o seu pitch – e Evento Final – onde são premiadas as melhores soluções.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

seventeen − 13 =