CoLABs e CTIs Portugueses Alcançam Faturação Conjunta de 111 M€ em 2022

Palestra durante o 4º Encontro Anual de Laboratórios Colaborativos (foto de CoLab ForestWise)

Os Laboratórios Colaborativos (CoLABs) e Centros de Tecnologia e Inovação (CTIs) em Portugal reportaram uma receita combinada de 111 milhões de euros em 2022. Os números foram avançados no 4º Encontro Anual de Laboratórios Colaborativos (CoLAB) e 1º Encontro Anual de Centros de Tecnologia e Inovação (CTI) que decorreu a 16 de novembro, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

Entre 2021 e 2022, os CoLABs conquistaram 647 clientes, marcando um aumento notável de 80% em relação ao ano anterior. Com mais de 3.300 entidades afiliadas, sendo 87% empresas, estas estruturas desempenham um papel crucial na promoção da inovação e integração do conhecimento na economia.

Atualmente, Portugal abriga 41 CoLABs e 31 CTIs, distribuídos estrategicamente nas áreas de Saúde, Energia e Sustentabilidade, Transformação Digital e Agroalimentar. Em comemoração aos 30 anos das agências de inovação em Portugal, a Agência Nacional de Inovação (ANI) realiza encontros anuais para apresentar o outlook da atividade dos CoLABs e os resultados dos CTIs.

No evento, sob o tema “Inovação e Valorização Tecnológica rumo aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, a ANI destacou o papel fundamental dessas entidades na conexão entre pesquisa científica e indústria. Os CTIs, apresentaram uma faturação de 107 M€ em 2022. Já os CoLABs dobraram suas vendas para 8 M€ entre 2021 e 2022, com 4 M€ apenas no último ano.

promovendo a a atração e envolvimento na contratação de colaboradores
Imagem de peoplecreations no Freepik

Impacto nas Áreas Estratégicas

Os relatórios anuais revelam que os CoLABs superaram as metas de contratação de emprego qualificado, angariando 639 profissionais, incluindo 32% de doutorados. Em 2022, conquistaram 416 novos clientes, destacando-se nas áreas de “Agroalimentar”, “Materiais, Economia Circular e Sustentabilidade Urbana” e “Saúde”. Desde 2019, os CoLABs registaram um volume agregado de vendas de 8 M€, com um aumento significativo nas áreas de “Materiais”, “Saúde” e “Energia e Sustentabilidade”.

Os CTIs, envolvendo cerca de três mil entidades, 90% das quais empresas, financiam 55,5% de sua atividade com receitas próprias. Em 2022, alcançaram vendas totais de 107 M€, empregando mais de 3.300 pessoas diretamente envolvidas em Investigação & Desenvolvimento, com 38% delas doutoradas.

António Grilo, presidente da ANI, destacou o papel fundamental dessas entidades na contribuição para os grandes desafios globais, colocando academia, instituições científicas, tecnológicas, empresas e sociedade a trabalhar em conjunto para alcançar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável em 2030.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

twenty + 6 =