Compras online: reclamações aumentam 27%

Imagem de Linus Schütz por Pixabay

O comércio online ganha peso nas vendas da Black Friday mas as reclamações aumentam também.

O Portal da Queixa, a plataforma especializada na mediação das reclamações dos consumidores, avalia regularmente os protestos dos clientes e alerta os consumidores para ‘Os 7 Pecados Digitais a não cometer nesta Black Friday’.

O Portal da Queixa, enquanto influenciador de referência nacional em matéria de consumo e associado da iniciativa europeia #yourEUright – um projeto que informa os consumidores sobre os seus direitos quando compram na Internet -, alerta para o aumento do número de reclamações relativas às compras online: uma subida de 27% face a 2018.

A pensar na Black Friday e no sentido contribuir para compras seguras e conscientes e para ajudar a evitar experiências de consumo negativas, a maior rede social de consumidores do país identificou também uma lista de erros dos consumidores, que definiu como os ‘7 Pecados Digitais para sobreviver à Black Friday 2019’. A equipa da startup portuguesa vai acompanhar, neste período,  o “feed” na plataforma, dedicado às reclamações, atividades, notícias e temas sobre a Black Friday.

 Entre 1 de janeiro de 2019 até 20 de novembro passado, a equipa de análise do Portal da Queixa registou um total de 9064 reclamações relativas a compras online, identificando um aumento de 27% face ao período homólogo, onde foram registadas 7120 reclamações. O Portal da Queixa recebe em média 30 reclamações por dia relacionadas com o comércio eletrónico.

A análise do Portal da Queixa permitiu identificar os principais setores mais reclamados e quais os principais motivos que estão na origem das reclamações registadas na sua plataforma, sendo que os principais setores são:

  • Tecnologia e eletrodomésticos (30%)
  • Viagens, turismo e lazer (17%)
  • Entrega ao domicílio de alimentação e outros (15%)
  • Compras de particular a particular (11%)
  • Supermercados online (9%)
  • Moda, vestuário e acessórios (8%)
  • Apostas online (5%)
  • Produtos para animais (3%)
  • Subscrições de serviços “on demand” (2%)

Os principais motivos das queixas estão relacionados com falha e atraso de entrega (41%), burla (23%), apoio ao cliente (18%), pagamento (11%), devoluções e/ou troca (4%) e envio de produto errado (3%).

Imagem de Hannes Edinger por Pixabay

Os dados estatísticos permitem concluir que, se é verdade que há cada vez mais consumidores a comprar online, também há mais queixas sobre o comércio eletrónico, resultado que, para a equipa do Portal da Queixa, deve-se ao desconhecimento recorrente dos consumidores em matéria de compras online e dos seus direitos.  

Deste modo, destaca-se a importância crescente do Portal da Queixa como meio de consulta e partilha de experiências, com vista a aumentar a literacia digital e promover os direitos dos consumidores na sequência, também, da sua participação na iniciativa da Comissão Europeia #yourEUright.

A tendência para compras online sobe enquanto nível de literacia digital em Portugal continua baixo

Perante o crescimento do peso do online nas vendas da Black Friday, Pedro Lourenço, CEO do Portal da Queixa, faz a análise: “São cada vez mais, os consumidores que arriscam entrar no mundo online, aliciados por estratégias de engagement que premeiam o uso dos canais digitais, sem possuírem o mínimo de conhecimento para o risco que enfrentam, colocando a sua segurança em causa.”

O responsável pelo portal sublinha que “é nosso dever contribuir com uma abordagem inclusiva, ajudando os consumidores a obterem o conhecimento necessário para efetuarem as suas compras em segurança. E numa época que se avizinha ser de muito consumo (a semana Black Friday), o perigo fica à espreita devido aos baixos níveis de literacia digital em Portugal, que já são equivalentes ao problema do analfabetismo de há 40 anos na sociedade portuguesa.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

2 × 4 =