Descida de 9% nas Reclamações à Segurança Social

Baixos índices de performance na resolução de problemas dps utentes da Segurança Social

O Portal da Queixa revelou uma redução significativa de 9% no número de reclamações dirigidas à Segurança Social em 2023, em comparação com o ano anterior. Os subsídios de desemprego, parental, doença e reforma foram os mais contestados, com queixas relacionadas principalmente à falta ou demora na resposta, atrasos no pagamento, solicitações indeferidas e erros nos valores.

No entanto, no ano passado, o total de reclamações registadas foi de 1.136, indicando uma diminuição em relação às 1.248 queixas recebidas em 2022. Este declínio parece persistir em 2024, conforme evidenciado pelos dados obtidos até 7 de fevereiro. Neste período, foram contabilizadas 118 reclamações, em comparação com 158 no mesmo período de 2023 e 170 em 2022.

Entre os motivos mais comuns de insatisfação em 2024, destacam-se a falta ou demora na resposta (43,6%), seguida pelo atraso no pagamento (19,8%), solicitações indeferidas (14,9%) e erro nos valores (11,9%). No que diz respeito aos subsídios, o subsídio de desemprego lidera com 22,2% das queixas, seguido pelo subsídio parental (12,7%) e o subsídio de doença (12,3%).

Apesar da redução no número de reclamações, a Segurança Social enfrenta desafios no seu desempenho no Portal da Queixa. Com um Índice de Satisfação de apenas 14,8 em 100, uma Taxa de Resposta de 13,3% e uma Taxa de Solução de 13,8%, a reputação da entidade é considerada “Insatisfatória” pelos consumidores.

Estes dados apontam para a necessidade de melhorias contínuas na eficiência e na qualidade dos serviços prestados pela Segurança Social, de forma a proporcionar uma experiência mais satisfatória aos cidadãos que dela dependem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

8 + seventeen =