Didimo vai expandir-se para a área do Gaming com humanos digitais

exemplo de uma foto de uma mulher jovem e a sua versão em clone digital (Foto de Didimo)

Depois de desenvolver a tecnologia de criação de rostos humanos digitais a Didimo, pretende agora dedicar-se à criação de humanos completamente digitais. O objetivo é explorar o segmento do gaming e manter um pé dentro do metaverso.

Para atingir essa meta a startup líder na criação de humanos digitais, contratou Sean Cooper, Hai Phung e Jamie Blyth. Os três são especialistas, de renome mundial, com conhecimentos em design de jogos e suporte, visando ampliar o uso desta tecnologia no setor, designadamente através do desenvolvimento de corpos digitais, que complementam a oferta atual.

Com uma tecnologia patenteada e baseada em cloud, a Didimo consegue gerar personagens digitais, com expressões humanas de alta-fidelidade e totalmente animados, customizados e prontos a usar em qualquer experiência digital. A empresa pretende agora criar corpos digitais, já que até agora esse desenvolvimento estava centrado no rosto.

Atualmente a criação de um rosto digital pode ser feita a partir de uma foto, vídeo ou scan e demora cerca de 90 segundos a ficar concluída, permitindo a qualquer pessoa no mundo criar uma versão digital de si, uma tecnologia com elevado potencial no metaverso, mas também para serviços de atendimento ao público em empresas.

A nova equipa vai ajudar a startup, nascida em Portugal, a preparar-se para lançar, já esta primavera, corpos de humanos digitais, de forma a dar a personagens de alta-fidelidade e com grandes capacidades de animação nos jogos eletrónicos.

Os três profissionais agora contratados englobam perfis seniores com uma vasta experiência no mundo do gaming e do setor tecnológico, numa altura em que a empresa lança importantes adições ao mundo da Realidade Virtual e do Gaming, com foco no futuro metaverso.

Sean Cooper, Lead Platform e SDK Developer, conta já com mais de trinta anos de experiência no setor de design de jogos e avatares, e já desenhou e programou vários títulos de sucesso para a Eletronic Arts, como 007, O Padrinho, Dungeon Keeper, Battlefield, e outros. Desde então, tem vindo a desenvolver tecnologia para gaming em browsers e gémeos digitais para as mais variadas indústrias. Sean trabalhou também no design e configurações na Unity e, neste momento, lidera os processos de desenvolvimento de alta-fidelidade e de criação de corpos, na Didimo.

Hai Phung, Senior Character Artist, tem uma experiência vasta na vertente artística. Já trabalhou em empresas como a Browzwear, Industrial Light & Magic e Dimension. Na Didimo, ajudou a remodelar e automatizar o pipeline de arte de personagens 3D e o sistema de aprendizagem profunda da Inteligência Artificial para gerar avatares de corpo inteiro capazes de trabalhar com ferramentas de animação e moda.

Jamie Blyth, Lead Rigger, passou por estúdios de efeitos especiais da MPC e da Framestore, nos quais liderou o desenvolvimento de sistemas de animação para vários filmes premiados. Trouxe à vida personagens como o Smart Hulk e o Black Order, do filme Avengers: Endgame & Infinity War, e mesmo de várias cartoons do Tom & Jerry. Trabalhou, ainda, para o Doctor Strange 2, Fantastic Beasts 2&3, Venom 2, Guardians of the Galaxy Vol. 2, Mowgli e tantos outros. Na Didimo, Jamie está encarregue de liderar o desenvolvimento de capacidades de animação, que deverão ser lançadas em março deste ano.

Para Veronica Orvalho, fundadora e CEO da Didimo, estas contratações “permitem que nos consigamos expandir e providenciar o melhor aos nossos clientes de Gaming e de Realidade Virtual. Além disso, ajudam a desenvolver o nosso negócio, ao criar corpos, capacidades adicionais de animação e novas formas de melhorar a qualidade do produto final. Estamos ansiosos para ver o que toda a experiência deste grupo nos vai trazer.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

13 + nineteen =