Empreendedores sociais preparam projetos para a final do Social Innovation Tournament

Ilustração de Gabriela Araújo

Os 15 finalistas do Social Innovation Tournament (SIT), concurso de inovação social do Instituto do Banco Europeu de Investimento (IBEI), participam remotamente no IES Mentoring Bootcamp. Esta etapa visou preparar os projetos para a sessão final do concurso que apoia e premeia as melhores soluções europeias com impacto social, ético e ambiental positivo, este ano sobre os temas da biodiversidade e conservação do ecossistema.

A pandemia da COVID-19 impossibilitou a presença física dos 15 finalistas do Social Innovation Tournament (SIT), do IBEI, em Lisboa, para o IES Mentoring Bootcamp – três dias intensivos de formação e mentoria com o IES Social Business School (a primeira escola portuguesa para negócios sociais) para o desenvolvimento do negócio, em empreendedorismo de impacto e para a preparação da apresentação final dos projetos. Esta é a primeira etapa, após a seleção dos finalistas que, dadas as circunstâncias, decorreu pela primeira vez no formato online. 

Os 31 empreendedores, fundadores dos 15 projetos finalistas, provenientes de nove países europeus (Bélgica, Alemanha, Países Baixos, Itália, Turquia, Espanha, Suécia, França e Noruega), participaram nas sessões onde foram abordados temas como os problemas sociais, as propostas de valor, a arquitetura de negócio, os modelos financeiros, os modelos de sustentabilidade, as estruturas de impacto, a escalabilidade e o crescimento.

Luísa Ferreira, Head of the Social Programme do IBEI, garante que o formato não afetou a performance do bootcamp. “Nunca pensei conseguir criar tanta empatia com os participantes num programa online. O IES provocou diversos momentos de partilha e discussão de ideias e parecia que estávamos todos lado-a-lado. Talvez o esforço que houve de tornar esta sessão tão apelativa, imersiva e interessante, como se tratasse de uma sessão presencial, tenha trazido ainda mais riqueza ao bootcamp.”

Os participantes elogiaram as ferramentas e metodologias que o IES apresentou ao longo dos dias. “Conhecemos uma equipa dedicada e muito profissional. Os materiais de trabalho e tarefas foram bem pensados, o que permitiu que se criasse uma ótima atmosfera. Foi intenso e conseguimos identificar algumas falhas que, com esta nova energia e confirmação do negócio, vamos corrigir.” esclareceu Lena Friedmann, CEO da CM Fluids, uma startup alemã que desenvolveu uma tecnologia ecológica que integra nos transportes públicos e veículos de recolha de lixo para a eficiência energética e eliminar as emissões de CO2 nas cidades europeias.

Carlos Azevedo, CEO do IES diz que “Tivemos que ser rápidos na adaptação do bootcamp ao formato online e, mais do que simplesmente transpor a experiência offline para online, o que fizemos foi recriá-la. O contexto digital acaba por dificultar a dimensão da proximidade humana. Este foi um ponto que trabalhamos particularmente, o nosso objetivo foi criar à vontade e fazer crescer um sentimento de confiança e familiaridade, não só entre os participantes, mas também entre eles e a nossa equipa. No IES somos muitos exigentes, porque acreditamos no poder de transformação dos negócios com impacto. Isto, obriga-nos a ser melhores todos os dias e a inovar sempre que necessário. Sentimos que ajudamos 15 das melhores Startups de Impacto da Europa a dar o próximo passo na jornada de criação de valor para a sociedade.”

No próximo dia 3 de setembro os finalistas voltar-se-ão a encontrar remotamente para uma sessão de “e-training” de técnicas de pitch. Já em território português (se o contexto epidemiológico assim o permitir), estes empreendedores terão dois dias para ensaiar a performance para a apresentação final, no dia 8 de outubro, data em que se conhecem os vencedores, numa cerimónia final a acontecer em Lisboa que contará com a presença de várias figuras públicas relevantes.

Dos 15 finalistas, serão apurados quatro vencedores – dois na General Category e dois na Special Category – com prémios de 50 mil euros para o primeiro classificado e 20 mil euros para o segundo classificado. Dois projetos são ainda selecionados para participar no INSEAD Social Entrepreneurship Programme, em França. Todos os finalistas integram ainda a SIT Alumni Network, onde podem beneficiar de outros programas como o Scaling Executive Programme, o SITolarships, conferências e networking com investidores, filantropos de risco e fundações, e terão também acesso à IRIS, uma incubadora social promovida pelo Instituto do Banco Europeu de Investimento, localizada na Região Norte do País.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

six − three =