Emprego Regista Maior Queda em 10 Anos no Quarto Trimestre de 2023

Foto de Drazen Zigic em Freepik

O último trimestre de 2023 marcou uma queda significativa no emprego em Portugal, conforme apontado pela análise da Randstad Portugal aos resultados do Inquérito ao Emprego do Instituto Nacional de Estatística (INE). Com uma diminuição de 35.000 pessoas empregadas em relação ao trimestre anterior, representando um declínio de 0,7%, este período registrou a maior queda de emprego num quarto trimestre desde 2012. Isso levou o número total de pessoas empregadas para 4.980.500 profissionais. Paralelamente, o desemprego aumentou em 28.500 pessoas, representando um aumento de 8,7% em relação ao terceiro trimestre de 2023.

Comparando em termos homólogos com o quarto trimestre de 2022, o emprego apresentou um aumento de 79.800 profissionais, correspondendo a um crescimento de 1,6% em relação ao quarto trimestre de 2022. O desemprego também cresceu em termos homólogos, com um aumento de 10.400 pessoas no mesmo período. A população ativa registou um acréscimo de 90.200 pessoas, representando um aumento de 2,4%.

Analisando por faixa etária, a diminuição do emprego no quarto trimestre de 2023 foi generalizada em todos os grupos etários, exceto na faixa dos 35 aos 44 anos, que registrou um aumento de 7.100 profissionais, ou +0,7%. Por setores de atividade, a queda no emprego foi observada em quase todos, exceto no setor da indústria, construção, energia e água.

Dos 4.980.500 profissionais empregados, 18,6% indicaram ter a possibilidade de trabalhar remotamente em diferentes modalidades de teletrabalho, sendo a Área Metropolitana de Lisboa a região com a maior percentagem de teletrabalho, atingindo 31,8%.

Apesar do abrandamento da economia, os dados do INE indicam um aumento da produtividade em 2023, explicado pela utilização mais eficiente dos recursos. Este aumento da produtividade pode implicar uma pressão adicional sobre o mercado de trabalho, destacando a importância da requalificação profissional e da adaptação dos trabalhadores afetados, conforme observado por Isabel Roseiro, diretora de Marketing da Randstad Portugal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

one × 1 =