Europa lança Capital Europeia da Democracia

Foto: Capital Europeia da Democracia

A Capital Europeia da Democracia será um evento que todos os anos escolherá uma cidade europeia para palco de movimentos que visam o reforço da democracia.  A ideia partiu de autarcas das principais cidades da Europa e tem o apoio de organizações internacionais e da sociedade civil.

Presidentes de Câmara de cidades de 15 países europeus lançaram, em Viena, a iniciativa Capital Europeia da Democracia. A partir do outono de 2021, todos os anos, uma cidade europeia receberá este título e compromete-se a iniciar novos projetos que visem o reforço da democracia no seu ambiente. As principais áreas de atuação do programa anual serão: novas tecnologias, mudanças climáticas, participação cidadã e educação.

“A democracia está ameaçada mas, agora, está contra-atacando. Cada Capital Europeia da Democracia irá tornar-se o lugar ideal para os europeus que desejam que a democracia seja mais forte: independentemente do seu partido político ou da nacionalidade”, disse Helfried Carl , diplomata de carreira que lidera a iniciativa.

A iniciativa será lançada sob o patrocínio de Marija Pejčinović Burić, Secretária-Geral do Conselho Europeu, e Dubravka Šuica, Vice-Presidente da Comissão Europeia, a pedido do Presidente da Câmara de Viena, Michael Ludwig . Organizações e fundações internacionais serão convidadas a apresentar suas atividades na cidade selecionada, como encontros juvenis, feiras ou festivais culturais. 

quatro tópicos principais: tecnologia, mudanças climáticas, educação e participação cívica

O programa gira em torno de quatro tópicos principais: tecnologia, mudanças climáticas, educação e participação cívica: 

Um “Caminho da Tecnologia” enfocará os desafios e oportunidades para nossas democracias resultantes da revolução digital, e isso inclui inteligência artificial e desinformação. Como parte da “Linha de Participação”, a Capital da Democracia implementará novas medidas, como assembleias de cidadãos e orçamento participativo, para melhorar a participação dos cidadãos. Tendo em vista que as “Mudanças Climáticas” são um dos principais fatores que influenciam o desenvolvimento democrático, cada cidade é incentivada a apresentar projetos emblemáticos de combate a esse problema. E como parte da “Trilha de Educação”, escolas de outras cidades e países poderão participar.

“Um número crescente de políticos e cidadãos está perguntando como podemos melhorar a democracia. A nossa iniciativa irá criar um espaço onde os pioneiros de toda a Europa se possam encontrar todos os anos, partilhar as melhores práticas e iniciar novas formas de envolvimento democrático. Para sobreviver, a democracia deve evoluir. Essa é a meta traçada pelas cidades participantes da iniciativa”, sublinha Helfried Carl, fundador e managing partner do projeto.

A iniciativa já conquistou o apoio de presidente de câmara s e políticos de destaque em várias cidades:

  • Michael Ludwig, presidente de câmara de Viena, Áustria;
  • Kostas Bakoyannis, presidente de câmara de Atenas, Grécia;
  • Aleksandra Dulkiewicz, Prefeita de Gdansk, Polónia;
  • Yordanka Fandakova, presidente de câmara de Sofia, Bulgária;
  • Peter Feldmann, presidente de câmara de Frankfurt, Alemanha;
  • Zdeněk Hřib, presidente de câmara de Praga , República Checa;
  • Ekrem İmamoğlu, presidente de câmara de Istambul, Turquia;
  • Gergely Karácsony, presidente de câmara de Budapeste, Hungria;
  • Hermano Sanches Ruivo, vice-presidente de câmara para Assuntos Europeus, Paris, França;
  • Rafał Trzaskowski, presidente de câmara de Varsóvia, Polónia;
  • Matúš Vallo, presidente de câmara de Bratislava, Eslováquia;
  • Erion Veliaj, presidente de câmara  de Tirana, Albânia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

three × 2 =