Hackathome: Encontrar soluções para casas vazias em Lisboa

Foto de Frank Eiffert em Unsplash

A Câmara Municipal de Lisboa e a Startup Lisboa unem-se para procurar soluções inovadoras para o problema da habitação em Lisboa, numa iniciativa que convida jovens universitários a dar resposta ao desafio das mais de 48 mil casas vazias na cidade.

A maratona pretende encontrar e ajudar a desenvolver ideias tecnológicas, inovadoras e sustentáveis para as casas vazias da cidade. A iniciativa vai decorrer no fim-de-semana de 28 e 29 de maio, no Hub Criativo do Beato, e tem um total de 10 mil euros para premiar as equipas vencedoras. As candidaturas estão abertas até 24 de maio no site do programa.

Lisboa tem quase 48 mil casas vazias ou edifícios devolutos que não estão a servir a sua função habitacional. A Câmara Municipal de Lisboa, em colaboração com a Startup Lisboa, incubadora de empresas na área da tecnologia, quer apelar ao conhecimento e dinamismo do ecossistema empreendedor para definir políticas públicas apoiadas na cocriação com os cidadãos.

Para esta maratona de inovação serão selecionadas até 15 equipas – compostas por três a cinco membros – com formação em áreas diversas e perfis de tecnologia, gestão, engenharias ou arquitetura, que terão como missão pensar soluções digitais e sustentáveis (ao nível social, ambiental e económico) que possam ser implementadas na cidade para ajustar a oferta e a procura de habitação.

“A colocação à disposição dos munícipes destas casas é uma missão urgente que precisa de respostas rápidas e à altura da era tecnológica que vivemos. Envolver os jovens neste desafio tem como objetivo fazer com que esta geração participe na tomada de decisão, ao mesmo tempo que beneficiamos da sua capacidade de inovar tecnologicamente”, explica a Vereadora da Habitação, Filipa Roseta.

Os participantes no Hackathome terão 24 horas para idealizar uma solução com base na tecnologia que combata os processos burocráticos e que simplifique o processo da informação sobre as casas vazias a quem quer comprar ou arrendar casa em Lisboa.

A última etapa do programa é a apresentação da solução desenvolvida ao júri, composto por elementos da autarquia, da Startup Lisboa, parceiros e de convidados especialistas. O primeiro lugar recebe um valor monetário de 7 mil euros, o segundo de 2 mil euros e o terceiro lugar de mil euros.

Com esta iniciativa a CML e a Startup Lisboa pretendem contribuir para o desenvolvimento e o crescimento do ecossistema de empreendedorismo e inovação da cidade de Lisboa ao mesmo tempo que resolvem desafios atuais e estruturais, melhorando a vida na cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui

4 × five =